Danilo, do Palmeiras, revela que cogitou parar de jogar e comenta sua evolução com Abel Ferreira
Lance!
Danilo, do Palmeiras, revela que cogitou parar de jogar e comenta sua evolução com Abel Ferreira


Danilo, atleta do Palmeiras, destaque no futebol brasileiro e convocado por Tite para defender a Seleção, cogitou abandonar a carreira de jogador de futebol quando já estava treinando nas categorias de base do Verdão.

GALERIA
> Raphael Veiga e Gabigol fora da Copa? Relembre 20 astros brasileiros que nunca jogaram o Mundial


Em entrevista ao programa 'Bem, Amigos!', na última segunda-feira (17), o volante revelou que, ao chegar no clube paulista — levado por João Paulo Sampaio, coordenador da base do Palmeiras — após passagem pelo Cajazeiras, passou um tempo focado única e exclusivamente no fortalecimento físico, sem ir a campo, fazendo com que cogitasse abandonar a profissão.

- Eu era bem 'sequinho', tava fazendo só academia e não indo pro campo. Pensei (em voltar para Salvador) - disse o camisa 28 do Verdão, que recebeu conselhos de colegas e familiares para que não desistisse do futebol.

Danilo não desistiu e foi promovido para a equipe principal do Palmeiras pelo então técnico Vanderlei Luxemburgo. Ele estreou no profissional no dia 6 de setembro de 2020, em vitória do Alviverde sobre o Red Bull Bragantino por 2 a 1, pelo Brasileirão.

Posteriormente, com a chegada de Abel Ferreira, o jovem de 21 anos acumulou títulos, marcas individuais expressivas, presença em finais de campeonatos e ganhou protagonismo. Fatores que levaram-no a ser observado (e convocado) pela Seleção Brasileira.

- Quando ele chegou, falava até com meus amigos e meus pais, ficava meio assim, troca de treinador, tinham jogadores mais velhos no elenco... Ficava meio que 'pô, vou descer pra base', na cabeça. Mas ele me ajudou, assim como o professor Luxemburgo me ajudou.

- Ele (Abel Ferreira) veio com uma mentalidade lá da Europa, acho que isso fortaleceu mais ainda meu estilo de jogo. O jeito de estar em todos os lados do campo, de pensar mais rápido, de ter mais equílibrio. Quando estiver lá embaixo, ou lá em cima, não deixar isso mudar sua cabeça - explicou.

Veja abaixo outros destaques da entrevista de Danilo:

COMEÇOU NO PALMEIRAS COMO PONTA E MEIA ARMADOR, ATÉ VIRAR VOLANTE
- ​No começo, Gilmey (Aimbere, auxiliar) e Wesley (Carvalho, treinador) sempre falavam do Patrick de Paula, que estava no sub-20. Eu ficava olhando, passando instruções de posicionamento. Era uma posição nova para mim. Eu via no YouTube o (Sergio) Busquets, o Casemiro, o Kanté... Aí foi mudando o foco.

CHEGADA AO PALMEIRAS
​- Me lembro que cheguei lá quietinho, falando só com os meninos da base. Não falava com ninguém, ficava na minha, quietinho ali. Depois fui jogando, ganhando confiança, aí a gente vai pegando amizade com os 'cascudos'. Vai brincando, resenhando. (Os cascudos) Eram Weverton, (Gustavo) Gómez, Rony, Dudu tava voltando, Luan, Viña (hoje na Roma), o (Marcos) Rocha. Já tinham uns caras que tavam há muito tempo. Aí só tinha de menino o PK (Patrick de Paula), Gabriel Menino, Alan (hoje no Sport), Wesley, (Gabriel) Veron e o Gabriel Silva. A gente vai convivendo e depois fica tudo tranquilo.

SELEÇÃO BRASILEIRA
​- Vou pensar um pouquinho antes de dormir. Vai ficar na cabeça essa informação (da possibilidade de jogar pela Seleção). Vou chegar lá, aproveitar e desfrutar ao máximo. Escutar bastante o professor Tite para aprender e melhorar mais ainda.

MUNDIAL CONTRA O CHELSEA
​- Muitas pessoas vão falar que tem nervosismo, que isso e aquilo... Não. Entrei e falei: 'é o Chelsea, campeão da Champions, Kanté, Thiago Silva, Lukaku...', mas dentro de campo pensei em ser eu mesmo, pedir a Deus para que ninguém se machuque e fazer meu jogo.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários