Investigação de suposta injúria racial de Rafael Ramos contra Edenilson terá perícia de leitura labial
Futebol Latino
Investigação de suposta injúria racial de Rafael Ramos contra Edenilson terá perícia de leitura labial


A Polícia Civil de Porto Alegre solicitou uma perícia da leitura labial de Rafael Ramos, do Corinthians. O lateral foi acusado de injúria racial por Edenilson, do Internacional, em partida do último sábado, no Beira-Rio, pelo Campeonato Brasileiro . O meia do Colorado declarou que foi chamado de 'macaco' pelo adversário.

Edenilson denunciou Rafael Ramos (FOTO: Ricardo Rimoli / Lancepress!)

Delegada responsável pelo caso, Ana Luiza Caruso, deu a informação ao 'ge'. Segundo ela, já existem fortes indícios de que efetivamente houve o crime apontado pelo atleta do Internacional:

- Vamos ver se o Instituto-Geral de Perícias nos dá uma clareza maior acerca da leitura labial. Mas igual, indícios da autoria e do crime a gente já tem, porque ficou quase inequívoco (a injúria). Vamos tentar ter mais uma certeza. Até porque o Edenilson não iria inventar um fato grave como esse - disse a titular da 2ª Delegacia de Polícia Civil, que complementou:

- Embora o Edenilson não tenha parado o jogo, esboçado uma reação imediata, porque segundo ele foi pego de surpresa e ficou sem reação, ele procurou o árbitro e pediu providências. Em princípio, nós vamos seguir com a linha de indiciamento.

Ao fim do jogo, Edenílson registrou boletim de ocorrência. Rafael Ramos chegou, inclusive, a ficar detido na cidade de Porto Alegre, mas foi liberado mediante o pagamento de fiança estipulada em R$ 10 mil.

Por meio de uma rede social, Edenilson se pronunciou sobre o caso. Ele garante que foi chamado de macaco pelo lateral do Timão e explicou a reação que teve em campo.

- Boa noite, pessoal, passando aqui apenas para me pronunciar. Eu sei o que ouvi, realmente eu não reagi provavelmente da forma que deveria pois foi a primeira vez que isso aconteceu comigo e me incomoda o fato de ficar chamando atenção de outra forma que não seja jogando futebol - disse o volante do Internacional no comunicado.

Depois de finalizado o confronto entre as equipes no Beira-Rio, com as delegações já nos vestiários, o jogador colorado chegou a conversar com o acusado de ter praticado o ato de racismo. Porém, Edenilson conta que decidiu avançar com os trâmites relacionados a lavratura do B.O após o papo por não ter recebido um pedido de desculpas pelo ato.

- Eu procurei o atleta para que ele assumisse e me pedisse desculpas, afinal todos erramos e temos direito de admitir, no meu modo de ver as coisas. Mas o mesmo continuou a dizer que eu havia entendido errado. Eu não entendi errado, o procurei pelo respeito que tenho por alguns integrantes do Corinthians e para que ele pudesse ter uma chance de se redimir - concluiu Edenilson.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários