Clubes se reúnem, chegam a consenso sobre divisão e criam comissão para negociar com a Libra
Luiza Sá
Clubes se reúnem, chegam a consenso sobre divisão e criam comissão para negociar com a Libra


No encontro de cerca de três horas realizado em um hotel na Zona Sul do Rio de Janeiro nesta segunda-feira, 25 representantes de clubes das Séries A e B chegaram a um consenso sobre a divisão de receitas e como será feita a negociação para a adesão de uma Liga. O próximo passo é conversar com os 10 que já integram a Libra (Liga do Futebol Brasileiro) e buscar um acordo. Além dos 23 do Futebol Forte, Atlético-MG e Internacional também enviaram seus presidentes. As ausências mais importantes foram de Grêmio e Bahia.

Os mandatários preferiram não entrar em detalhes, mas a divisão acordada pelos clubes foi de 45% igualitários, 30% de performance e outros 25% por engajamento. Esse último critério causa bastante debate pois é considerado por todos como subjetivo. Na Libra, ele engloba critérios como média de público no estádio, base de assinantes de pay-per-view, número de seguidores e engajamento em redes sociais, audiência na televisão aberta e tamanho da torcida.

Ainda não há uma data para nova reunião, mas a expectativa é que aconteça ainda nesta semana ou na outra. Para isso, foi formada uma comissão com seis clubes, além de um representante da Associação Nacional de Clubes de Futebol (ANFC) que representa um bloco de equipes da Série B.

O clube de Porto Alegre não enviou representantes pois joga na noite desta segunda contra o Ituano, pela Série B, às 20h, mas pediu as informações da reunião. Já o Bahia aguarda a definição da venda, já que aguarda para a venda da SAF. É importante ressaltar que os 40 clubes das Séries A e B foram convidados para participar do encontro, mas os participantes da Libra não confirmaram presença.

Estiveram nesta reunião os seguintes clubes: América-MG, Atlético-GO, Avaí, Ceará, Athletico-PR, Atlético-MG, Coritiba, Cuiabá, Juventude, Fluminense, Fortaleza, Goiás, Internacional, Chapecoense, Brusque, CSA, CRB, Náutico, Criciúma, Guarani, Londrina, Operário, Sampaio Corrêa, Sport e Vila Nova. As empresas Live Mode e Alvarez & Marsal foram nomeadas pelo grupo de clubes como consultores e participam das conversas.

O Futebol Forte inicialmente propunha uma cópia da divisão adotada na Premier League, da Inglaterra: 50% divididos igualmente, 25% por performance e 25% da receita nos critérios de engajamento, que poderia ser rediscutida adiante. Segundo eles, isso faria cair a diferença entre primeiro e último para 3,5 vezes, valor considerado mais justo. Na Libra, essa diferença entre o campeão brasileiro e o lanterna da competição geraria um abismo de até 6,5 vezes.

Para a Liga ser implantada, o estatuto da CBF define que haja a adesão de pelo menos um terço dos participantes das séries A ou B. Ou seja, a Libra precisa de 13 assinaturas. Se isso não ocorrer, o Brasileirão continua organizado pela CBF e os dois lados negociarão por conta própria seus direitos de televisão.

QUEM JÁ É INTEGRANTE DA LIBRA

Corinthians
São Paulo
Palmeiras
Santos
Bragantino
Ponte Preta
Flamengo
Vasco
Botafogo
Cruzeiro

QUEM INTEGRA O FUTEBOL FORTE

Athletico
América-MG
Atlético-GO
Avaí
Brusque
Ceará
Chapecoense
CSA
CRB
Coritiba
Criciúma
Cuiabá
Fluminense
Fortaleza
Goiás
Juventude
Londrina
Náutico
Operário
Sampaio Corrêa
Sport
Tombense
Vila Nova

QUEM SÃO OS MODERADORES E AINDA NÃO APOIARAM NENHUM DOS LADOS

Grêmio
Internacional
Bahia
Atlético-MG
Novorizontino
Guarani
Ituano

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários