Procuradoria do STJD nega que teve intenção de prejudicar o Galo com denúncia de Hulk por agressão
Valinor Conteúdo
Procuradoria do STJD nega que teve intenção de prejudicar o Galo com denúncia de Hulk por agressão


A Procuradoria do Superior Tribunal de Justiça Desportiva se posicionou sobre a nota oficial emitida pelo Atlético-MG, que questionou a denúncia do atacante Hulk por agressão física após uma falta feita pelo jogador em jogo contra o Coritiba, pelo Brasileirão.

A procuradoria rebateu a nota oficial do Galo, que chamou a denúncia de "esdrúxula".


Em nota assinada pelo procurador-geral Ronaldo Piacente, a Procuradoria do STJD disse que quais foram os motivos que levaram a corte esportiva a aceitar a denúncia, mesmo contrariando o Galo que viu como exagero, pois Hulk já havia sido punido com um cartão amarelo após acertar um chute em Willian Farias.

- A denúncia não é uma punição sumária, pois o atleta terá o direito de se defender, utilizando-se do seu direito constitucional da ampla defesa e do contraditório, e se a denúncia é tão absurda como diz o clube, basta demonstrar isso em julgamento - escreveu a Procuradoria do STJD.

Na nota do time mineiro, clube diz que que as críticas feitas pelo atacante Gabigol no lance foram uma "chama" que fez a Procuradoria agir, e de forma "claramente motivada por desejo de prejudicar o Clube Atlético Mineiro".

- Ressalta-se que a Procuradoria do STJD é um órgão independente e autônomo, sendo que suas denúncias são pautadas com base na lei o no CBJD, jamais motivada por postagem de atleta rival ou com desejo de prejudicar alguém ou algum clube-diz a nota que rebate o Atlético.


Hulk será julgado pela terceira comissão disciplinar do STJD no dia 18 de maio, quarta-feira. Caso seja condenado no artigo que cita agressão física, poderá ser suspenso por 4 a 12 jogos.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários