Outras opções não se firmam, e Figueiredo ganha espaço no Vasco mesmo sem gol
Felipe Melo e Felippe Rocha
Outras opções não se firmam, e Figueiredo ganha espaço no Vasco mesmo sem gol


Mesmo com a tentativa do Vasco de colocar em campo outros pontas, um jovem revelado na base do clube tem conquistado espaço. É o atacante Figueiredo, que tem tido boas atuações e deu mais dinamismo ao ataque também a partir do segundo tempo na vitória sobre o CSA, em São Januário, no último sábado.

Desde as primeiras participações nesta temporada, o camisa 15 deu demonstrações de que poderia ser importante no elenco e lutar por uma vaga entre os titulares. Com força física nas disputas individuais, o atacante se destaca na movimentação ofensiva e ajuda na recomposição para encurtar os espaços.

+ Confira e simule a tabela da Série B do Campeonato Brasileiro

A temporada tem sido de afirmação para Figueiredo, que foi o artilheiro da Copa São Paulo de Juniores, ao lado de Werik, do Oeste, com 8 gols em seis partidas. Apesar de ter características de centroavante, o jovem tem mobilidade e aparece constantemente para dar opção de passe e criar, seja por dentro ou em profundidade.

No sábado, Zé Ricardo optou por Getúlio para tentar se aproveitar da baixa estatura do lateral-esquerdo Diego Renan, Contudo, o atacante não conseguiu render no primeiro tempo e sua substituição era questão de tempo. Na etapa final, Figueiredo fez a diferença ao lado de Palacios e Juninho, e o time passou a incomodar o adversário e levar perigo à meta de Marcelo Carné.

+ Surpreso com a decisão, Vasco tenta reverter mudança de data e horário do jogo contra o Bahia. Entenda!

Apesar da boa fase, o atacante ainda busca seu primeiro gol entre os profissionais. Ele tem, até o momento, 46 jogos com a cruz de malta no peito e uma assistência. Diante do CSA, uma finalização dele acertou a trave, e uma de Gabriel Pec, ponta mais utilizado do elenco, é que foi no gol para garantir a vitória. Noutro momento do jogo, um cabeceio de Figueiredo levou perigo.

Esse crescimento atuando pelo lado do campo gera também uma versatilidade ao atacante, que é centroavante. Ele aparece para tabelar e construir por dentro. Algo que tem faltado a Raniel, a movimentação de um pivô para utilizar o corpo e tabelar com quem vem de trás. O camisa 9 é o artilheiro do time na temporada com 9 gols, mas precisa tocar mais na bola durante as partidas.

+ Vasco anuncia adesão à Libra: 'Fundamental para o futuro do futebol brasileiro'

O Vasco tem como opções nas pontas além de Pec e Figueiredo, apostas que ainda não conseguiram render como Getúlio e Jhon Sánchez. Erick chegou como destaque do Ypiranga, no Gauchão, mas se lesionou, e Bruno Nazário deixou a desejar quando atuou improvisado no setor. Além deles, a cria da base Vinícius e Lucas Oliveira, ex-Bangu, estão no elenco.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários