Luiz Henrique faz gol, se emociona no Fluminense e caminha para retomada da confiança
Ana Daróz*
Luiz Henrique faz gol, se emociona no Fluminense e caminha para retomada da confiança


A vitória por 2 a 1 sobre o Junior Barranquilla (COL) renovou as expectativas do Fluminense e também fez ressurgir jogadores que até então não estavam rendendo como o esperado. Autor do segundo gol, Luiz Henrique liderou o ataque na etapa final e se emocionou quando comentou a importância de estufar a rede em um jogo decisivo. Mais do que isso. Em contagem regressiva para deixar o clube onde foi formado, o jogador quer deixar uma boa impressão aos tricolores.

O dia 18 de julho pode marcar a despedida de Luiz Henrique do Flu, já que é o momento que a janela de transferências volta a abrir. Ele está pronto para ir ao Real Betis, da Espanha, em transação oficializada pouco depois da melhor partida com a camisa tricolor, na vitória por 3 a 1 sobre o Olimpia (PAR) na ida da terceira fase da Libertadores. Foi ali também que ele se lesionou e não voltou a ser o mesmo.

Luiz demorou até mais do que o previsto para retornar aos gramados, mas ainda mostra certa dificuldade em retomar as boas atuações. O jovem chegou até a ser vaiado pela torcida na derrota para o Internacional por 1 a 0 pelo Brasileirão, assim como Calegari. Alguns tricolores temem que a cabeça do atacante esteja já na Europa, mas o gol pode mostrar que os dois meses restantes tem chances de serem promissores. E mais: pode recuperar a confiança do próprio jogador.

Veja a tabela da Sul-Americana

A PARTIDA

No primeiro tempo, Luiz chegou a invadir a área do Junior algumas vezes, mas não ofereceu perigo. Ainda assim, o jovem atacante seguiu tentando criar oportunidades para a equipe mas, ainda tímido, não teve sucesso na primeira etapa. Nos duelos, o camisa 11 brilhou como de costume, costurando pelos espaços do meio à frente do campo adversário. A cada entrada dura, o jogador verificava o tornozelo direito, recém curado de uma lesão. Em um momento, ele caiu sozinho e preocupou os tricolores, mas pouco depois se reergueu e voltou à disputa.

Na segunda etapa, o Moleque de Xerém entrou com tudo. Além de se arriscar mais e participar da construção de jogadas, o atacante foi bem nas divididas e garantiu a pressão na saída de bola do Junior. Os companheiros logo sentiram a diferença e passaram a contar com o jogador, que arriscou finalizações em todas as oportunidades que teve. Mesmo sem ter esta característica, ele também levou a melhor em um duelo aéreo na área do Flu, ajudando o setor defensivo.

Contudo, a atuação não era o suficiente para Luiz Henrique, que estava decidido a fazer a diferença no duelo direto do torneio continental. Os minutos foram passando e, com a entrada de Fred, o menino reencontrou seu caminho. Dos pés do camisa 9 saiu uma bola esticada para o Moleque de Xerém que, frente ao gol, ajustou o corpo para arrematar. A rede balançou pela segunda vez para o Fluminense, que vivia seu pior momento da partida. O lance foi coroado pela explosão da torcida, que gritou, fez chover copos e se uniu em abraços que poderiam envolver o Maracanã.

Assim, a conquista do Fluminense não teve só o sabor do "dever de casa", mas acendeu uma chama para o que está por vir. Embora sejam tempos de mudança, a vitória na Sul-Americana mostrou que o tempo que resta para Luiz Henrique no Flu pode ser valioso tanto para o atleta quanto para o clube.

Com o resultado, o Flu sobe para o segundo lugar no Grupo H com os mesmos sete pontos do Junior, que ainda lidera por conta do saldo de gols maior. Unión Santa Fe (ARG), com cinco pontos, e Oriente Petrolero (BOL), com zero, ainda se enfrentam na quinta-feira para fechar a quarta rodada.

As equipes só voltam a jogar pela competição continental em duas semanas, quando o Tricolor visita o Santa Fe dia 19, às 19h15. Antes disso, porém, o Fluminense enfrenta o Palmeiras no próximo domingo, às 16h, no Allianz Parque, pelo Brasileirão.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários