Com inclusão da SAF no estatuto, Vasco aguarda proposta da 777 Partners
Matheus Guimarães
Com inclusão da SAF no estatuto, Vasco aguarda proposta da 777 Partners


Os sócios do Vasco aprovaram, neste sábado, na sede do Calabouço, a inclusão da SAF no estatuto do clube , com 3.260 votos a favor. Agora, o Cruz-Maltino aguarda euforicamente a proposta vinculante da 777 Partners, para deliberar a venda do futebol do clube. Mas quais os próximos passos? O LANCE! explica detalhadamente o que está por vir.

Proposta vinculante da 777 Partners
Após a aprovação de 77,44% dos votantes, o Gigante da Colina pode prever em seu estatuto a constituição da SAF. O momento é de ansiedade e espera, tendo em vista que o prazo das diligências ( due diligence ), que estão sendo feitas pela empresa norte-americana, se encerra somente na terceira semana de maio. Depois, o Vasco aguarda a oferta dos americanos.

Segunda votação no Conselho Deliberativo
A partir disso, os conselheiros do clube deliberarão sobre a proposta. Ou seja, a comissão e os poderes do Cruz-Maltino vão avaliar. Bem como, ocorreu na primeira etapa de todo o processo.

Vale ressaltar que, mesmo com a rejeição no pleito, será marcada uma nova Assembleia Geral, visto que o sócio definirá o destino do futebol do clube. Porém, a expectativa é que a segunda reunião do Conselho tenha um resultado positivo como a primeira.

Etapa final
Diante de uma proposta concreta, o sócio vascaíno, apto a votar, definirá o futuro do Gigante. Carlos Osório, primeiro vice-presidente do Vasco, definiu a próxima Assembleia Geral como um ato democrático.

- No momento em que ela chegar (proposta vinculante), será tratada pelos poderes dos clubes, de acordo com o rito preestabelecido, para em última instância, o associado sobre uma proposta concreta, dizer sim ou não para o futuro do nosso clube. No Vasco, quem decide, quem dá a palavra final é o associado e assim que tem que ser. Essa é a maneira mais democrática. É um voto de confiança no futuro do Vasco da Gama - comentou Osório sobre a continuidade do processo.

São Januário
São Januário, um dos maiores motivos de orgulho de todo vascaíno, é um ponto que o torcedor está desconfiado. No entanto, o estádio não será vendido juntamente ao futebol do clube. E sim, continuará a ser uma propriedade do Clube de Regatas Vasco da Gama.

Em verdade, o Vasco - como associação - vai alugar para a 777 Partners, que terá o direito de uso, além da responsabilidade de cuidar da manutenção e preservar o Complexo de São Januário.

- O que nós temos é um memorando de entendimentos, que baliza a negociação. Porém, ainda não temos a proposta vinculante. O Vasco da Gama decidiu, discutiu e aprovou nas negociações com a 777, que São Januário permanecerá propriedade do Clube de Regatas Vasco da Gama. É assim que está no memorando de entendimentos e é assim que virá na proposta vinculante - afirmou o vice-presidente e emendou justificando a decisão do estádio permanecer com a associação:

- O Vasco entende que São Januário foi construído numa jornada histórica, pelos vascaínos e entende que a propriedade de São Januário e de todas as suas sedes deve permanecer de posse do clube. Aprovada a SAF, ela terá o direito de uso do estádio, através do contrato de locação, a responsabilidade de manutenção e não apenas do estádio, de como também de todo o Complexo de São Januário.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários