Ideia de jogo, modelo e família: Luís Castro completa um mês no Botafogo
Sergio Santana
Ideia de jogo, modelo e família: Luís Castro completa um mês no Botafogo


Trinta dias que se passaram em questão de minutos. Luís Castro completa um mês desde que iniciou os trabalhos como treinador no Botafogo nesta sexta-feira. Neste período, o início para uma mudança de filosofia, um novo estilo de jogo, reforços no circuito e o apoio da torcida em evidência.

+ Willian Arão, do Flamengo, perde na Justiça e dívida com o Botafogo alcança R$ 5,5 milhões

Uma palavra que pode resumir os dias do português é trabalho. Desde então ele arregaçou as mangas e colocou como prioridade que o elenco entendesse o estilo de jogo. Foi uma ruptura significativa, visto que a estratégia de valorizar a posse de bola e criar chances desde o campo defensivo não era utilizada pelo Alvinegro com Enderson Moreira.

Luís Castro respeita o jogo e as complexidades que ele oferece. O português permite que apenas jogadores e membros da comissão técnica pisem no gramado durante as sessões de treinamento. A "relva sagrada" - termo que ele utiliza para se referir ao campo - precisa ser 'intocável'.

Os treinamentos são puxados. As atividades raramente são dobradas - como alguns outros treinadores europeus fizeram quando vieram ao Brasil -, mas muito intensas. Não à toa, jogadores chegaram a relatar que "ficaram exaustos" após uma atividade. Para ele, o treino é tão importante quanto o jogo.

Fora dele, a intenção do comandante é criar uma "família". A união é uma das máximas que ele prega no dia a dia, dos funcionários aos jogadores. A torcida também é um elemento citado com exaustão pelo português. E vice-versa.

+ VEJA A TABELA DO BRASILEIRÃO

Em campo, foram, duas vitórias e um empate com Luís Castro à beira do gramado - vale lembrar que ele não comandou a equipe contra o Corinthians, na estreia do Brasileirão, por falta de visto de trabalho. Aos poucos mudanças são vistas: lateral-direito bem avançado, ponta esquerda 'isolado' para buscar o drible no 1x1 e apoio dos volantes para a construção de jogadas.

A participação de Luís Castro, contudo, parece ir bem além do que 'apenas' o campo oferece. Os jogos ainda são poucos, mas a influência do treinador no dia a dia já começa a aparecer.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários