VP explica escalação reserva do Corinthians contra a Portuguesa-RJ e afirma: 'Queremos estar vivos'
Lance!
VP explica escalação reserva do Corinthians contra a Portuguesa-RJ e afirma: 'Queremos estar vivos'


O técnico Vítor Pereira justificou a escolha pelo time reserva do Corinthians no empate em 1 a 1 com a Portuguesa-RJ, pela partida da ida da terceira fase da Copa do Brasil , nesta quarta-feira (20).

> GALERIA - Veja todos os técnicos estrangeiros da história do Corinthians
> TABELA - Confira todos os jogos da Copa do Brasil

O treinador deixou nove atletas que são presenças constantes no time titular em São Paulo e relacionou oito atletas recém-promovidos das categorias de base, colocando um como titular (Robert Renan) e promovendo a entrada de outros dois (Giovane e Wesley).

No entanto, VP entende que o Timão terá uma sequência de jogos de maior exigência, como o clássico contra o Palmeiras, neste sábado (23), pela terceira rodada do Campeonato Brasileiro, e o confronto diante do Boca Juniors, na terça-feira (26), pela Libertadores.

- Não temos outro caminho. Não é por estar aqui após um empate. A única possibilidade de o Corinthians ser competitivo é subir o nível desta juventude. Se não subirem o nível, não adquirirem a tranquilidade, ficamos curtos para ficar competitivo. Vamos imaginar que eu trouxesse a outra equipe, para decidir a Copa aqui. Tenho certeza que grande parte deles não poderia ir para o jogo contra o Palmeiras – disse o treinador em entrevista coletiva após o duelo contra a Lusa carioca.

Ainda assim, o treinador corintiano tem total confiança de que a sua equipe vai garantir a classificação às oitavas de final da Copa do Brasil, no jogo de volta contra a Portuguesa-RJ, marcado para o dia 11 de maio, às 21h30, na Neo Química Arena.

- Temos que tentar gerir as competições, mas sabemos que, hoje, se não tivéssemos poupados, teríamos comprometido o próximo jogo com o Palmeiras e, provavelmente, contra o Boca também. Temos que entender que nessa Copa nós queremos estar vivos. Teremos o jogo em casa, com um melhor gramado, acredito que vamos fazer um bom jogo e dar volta no resultado – destacou VP.

Mesmo com toda a circunstância de carga de jogos aos ‘titulares’ e uma sequência de jogos importantes, Vítor também argumenta sobre a importância de dar rodagem para os mais jovens darem nos jogos as mesas respostas que têm feito nos treinamentos.

- Tenho que subir o nível dos outros para ficarmos mais equilibrados e darmos as respostas. Trabalhamos todos da mesma forma, são estimulados com os comportamentos defensivos e ofensivos que pretendemos. Falta jogo, falta confiança. Nos treinos fazem coisas. No treino já subiram, agora falta subir no jogo – comentou o técnico corintiano.

Confira outras respostas de VP na coletiva

GOL SOFRIDO

- Não sei como o posicionamento dele estava no gol sofrido. Tínhamos que estar mais rodados e equilibrados do lado da bola quando perdemos aquela bola, e não estávamos. É uma sequência de falhas nos posicionamentos que permitiu abrir o buraco ali no meio. Foi um gol muito fácil, entregamos de bandeja. Permitimos ao adversário se colocar em vantagem, e nesses jogos de taça, é fundamental marcar primeiro.

GOL SOFRIDO CEDO

- O primeiro gol do adversário hoje condicionou o jogo. Essas equipes quando marcam, se mantém organizadas. Tivemos oportunidades para marcar, não fizemos. Começamos a jogar de maneira precipitada. Era um gramado difícil também, a bola quica muito. Faltou o último passe e a definição. Esses jogadores precisam crescer, e hoje era jogo para arriscar. Naturalmente as dinâmicas se alternam, mas a confiança tem que vir. Tem que começar aparecer a confiança no momento de definir.

ANSIEDADE PARA FAZER GOLS

- A ansiedade. Eu tenho uma oportunidade e quero agarrá-la e fazer tudo, chutar de pé esquerdo, direito. Às vezes finalizações simples, que é só tocar. A bola tem que ser batida com qualidade, às vezes até devagar. Hoje tivemos oportunidades falhadas. Isso é pela falta de tempo de jogo, e pela ansiedade que eles tem de mostrar. O nosso jogo e associativo, e hoje corremos com bola, ficou descaracterizado. Não é aquilo que nós treinamos.

TORCIDA CORINTIANA EM LONDRINA

- Espetacular. Dá a sensação de jogar em casa. Só lamento não termos conseguido a vitória. Não posso dizer que a minha equipe que eles nao trabalharam, pressionaram. Faltou a tranqulidade, confiança na hora de definir. Nós é que tornamos o jogo mais difícil. Se tivéssemos feito o gol primeiro, provavelmente teríamos mais espaço para fazer o segundo, e o jogo se tornaria diferente. Muito feliz por eles estarem aqui, tanta gente apoiando. É sinal que acreditam, espero que nós continuamos a merecer o carinho e apoio deles.

QUALIDADE DO ADVERSÁRIO

- Não é só a nossa ansiedade e o gol cedo, é também a vontade da equipe adversária, a qualidade deles, apesar de estarem na divisão que estão. É também por eu ter mexido tanto. Tenho que correr esse risco. Esses fatores todos, em conjunto, e é um jogo de taça, tudo pode acontecer. No nosso estádio, é um poco diferente, gramado é melhor. Com maior ou menor dificuldade, vamos conseguir sair classificados

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários