Praia Clube suporta 'caldeirão', vence o Sesc Flamengo e força jogo 3 da semifinal da Superliga
Jonas Moura
Praia Clube suporta 'caldeirão', vence o Sesc Flamengo e força jogo 3 da semifinal da Superliga


O Dentil/Praia Clube está vivo na Superliga feminina de vôlei. O time mineiro derrotou o Sesc RJ Flamengo por 3 sets a 2, com parciais de 21-25, 25-21, 21-25, 25-15 e 15-12, em uma grande partida das comandadas de Paulo Coco no Tijuca Tênis Clube, no Rio de Janeiro.

A série agora será decidida em Uberlândia na sexta-feira, às 18h30, na Arena Praia. A primeira partida, em Uberlândia, havia terminado em 3 a 0 para as cariocas.

Na outra semifinal, o Itambé/Minas lidera a série contra o Sesi Vôlei Bauru e pode se garantir na final nesta quarta-feira. A segunda partida acontece às 21h (de Brasília), em Bauru (SP).

GALERIA: Flamengo de 2019 ou Palmeiras de 1993? Quem é o melhor?

A partida começou com destaques "improváveis" até então no campeonato. No Flamengo, Sabrina substituiu Monique à altura e comandou o setor ofensivo, mostrando desenvoltura acima do esperado para uma jogadora que passou a maior parte da temporada na condição de reserva.

No Praia, Kasiely, especialista em passe, foi a maior definidora. O saque rubro-negro fez a diferença, e as comandadas de Bernardinho largaram em vantagem.

O Praia não se abateu com o resultado parcial e voltou para a quadra mais agressivo. O técnico Paulo Coco trocou a holandesa Anne Buijs, foco dos saques cariocas, por Tainara. O time se soltou mais em quadra e mostrou que estava vivo no campeonato.

O treinador da equipe mineira manteve Tainara no terceiro set, mas como oposta, no lugar da dominicana Martínez. Mas o Sesc RJ Flamengo recuperou o embalo da primeira parcial, com Sabrina dando um show à parte, nos ataques e nos saques.

O nível do quarto set foi abaixo do que o público esperava, mas quem se aproveitou foi o Praia. O time contou com o crescimento de Tainara e a boa participação de Kasiely. Do outro lado, as mandantes perderam o controle das ações. Os erros se acumularam, e o Praia não teve dificuldades de levar a disputa para o tie-break.

Com um saque muito agressivo no set decisivo, o time carioca abriu 4 a 1 e levantou definitivamente a torcida. Mas o Praia logo tratou de empatar e virou para 6 a 5. O Flamengo se assustou com o crescimento do Praia, que teve em Anne Buijs, eleita a melhor em quadra, e Carol os pilares para chegar à vitória.

A frustração do Rubro-Negro foi completa após a central Milka torcer o tornozelo ao cair de um bloqueio no penúltimo ponto. O jogo terminou com um bloqueio de Kasiely em Sabrina.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários