Absolvido pelo Conselho do Flamengo, Bandeira de Mello avalia decisão como 'vitória da democracia'
Matheus Dantas
Absolvido pelo Conselho do Flamengo, Bandeira de Mello avalia decisão como 'vitória da democracia'


Após ser absolvido pela maioria dos votos do Conselheiro Deliberativo do Flamengo , em sessão na noite desta de segunda-feira, na sede da Gávea, o ex-presidente Eduardo Bandeira de Mello classificou a decisão, que revogou sua suspensão por 90 dias do quadro social por conta de declarações a respeito do incêndio do Ninho do Urubu, em 2020, como uma "vitória da democracia e da liberdade de expressão".

- Entendo que a decisão do Conselho Deliberativo do Flamengo foi uma vitória da democracia e da liberdade de expressão - relatou o ex-presidente, ao LANCE! , antes de complementar:

- Afastou também uma perseguição de natureza política e contribuiu para que todos nós, rubro-negros, possamos restabelecer a paz no clube, condição fundamental para buscarmos a retomada da excelência na gestão e da boa governança - finalizou.

O inquérito foi aberto por conta de declarações de Bandeira de Mello, em 2020, nas quais afirma que o incêndio que vitimou 10 jovens das divisões de base "dificilmente teria acontecido em sua gestão". Na época, Eduardo Bandeira de Mello falou à reportagem do LANCE! , e reforçou que "não ofendeu ninguém."

A declaração de Bandeira de Mello se deu por conta do planejamento que havia em sua gestão, no qual as divisões de base passariam a utilizar os alojamentos do módulo 1 do CT do Ninho do Urubu a partir de 1º de janeiro de 2019, e não mais os contêineres. Em 8 de fevereiro de 2019, um incêndio atingiu uma das unidades e vitimou 10 atletas das divisões de base do clube.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários