Abel Braga comenta mudanças na escalação em vitória do Fluminense e critica VAR: 'Totalmente equivocado'
Lance!
Abel Braga comenta mudanças na escalação em vitória do Fluminense e critica VAR: 'Totalmente equivocado'


No primeiro jogo da final do Carioca, o Tricolor saiu na frente. Com gols de Cano, o Fluminense venceu o Flamengo por 2 a 0 e garantiu a vantagem. Após a partida, Abel Braga não se deixou empolgar pelo triunfo, mas disse que o resultado é importante para retomar a confiança do grupo. Ele também destacou a qualidade do adversário e se queixou da arbitragem, que anulou um gol do Flu no fim do primeiro tempo.

- Disse para eles que não seria decidido hoje e conseguimos dois gols. Com certeza é outro jogo e outra história. Tem que tentar no início não sofrer gol, pra não incendiar o time do Flamengo. É um grande time, difícil de marcar, acho que ninguém imaginaria aquela escalação [do adversário] e como foi. Deu trabalho e nos confundiu, apesar de que passei três vezes um recado para um jogador e não foi passado. Mas depois correu tudo bem. Estou contente com os jogadores porque no futebol não se ganha antes. Quem tem cicatriz é porque passou por dificuldades, e só com muito comprometimento você cura. A cicatriz foi curada em relação ao jogo passado. Que ela não nos assombre no sábado - disse.

No primeiro tempo, o Fluminense abriu o placar, mas a arbitragem sinalizou impedimento de Cano em um lance polêmico. Abel criticou a postura do juiz durante o jogo e afirmou que o gol foi legal.

- Estamos vendo o lance do primeiro tempo e o gol é muito mal anulado. O VAR colocou a linha de impedimento totalmente equivocado, não dá para entender. E a pressão de sempre, cinco jogadores levaram cartão amarelo no segundo tempo - afirmou.

Na partida, Abel Braga fez mudanças na escalação. Ganso ganhou a titularidade, enquanto Arias e Martinelli entraram no segundo tempo. O técnico do Flu disse que as alterações em campo têm base em sua convicção, e rechaçou as críticas em relação ao seu esquema com três zagueiros.

- Achei que o Ganso tinha que entrar, como poderia ser ao contrário. A equipe vinha melhorando com a entrada dele. A mesma coisa com Arias e Martinelli: com eles, o grupo subia de produção. Depois, jogando de início, a equipe não estava se encontrando e voltou o Yago. A convicção vai ser sempre minha. As pessoas não gostam de três centrais. O Felipe faz central, volante... mas não importa. O adversário joga com três e ninguém fala nada. São critérios e pesos que não justificam. Não quero saber se os caras vendem mais comercial, o que importa é a minha cabeça. Isso é criar um tumulto antes do jogo decisivo.

Leia Também

Por fim, ele revelou que decidiu escalar o camisa 10 pelo tamanho da sua vontade em jogar, e que foi substituído por questões físicas. Abel também adiantou que não fará mudanças no esquema para o segundo jogo, e falou sobre a possibilidade do retorno de Nino e Luiz Henrique.

- O Ganso foi até onde ele podia. O correto era colocá-lo depois, mas senti tanta vontade nele quando conversei com ele, que decidi usar ele. Pedi para que, no momento que ele não suportasse, me avisasse. E o ritmo do primeiro tempo foi muito forte, tivemos que correr muito para segurar a impetuosidade do Flamengo. Próximo jogo é outra história e para nós tem que começar 0 a 0. Tem sido assim quando eu estava aqui e quando não estava também. O Flamengo tem sempre a bola, daqui a pouco se projeta demais e uma hora [o Fluminense] marca. E vai continuar sendo. Vou falar que vou mudar? Não vou mudar nada. Os nomes ainda não sei, mas provavelmente terei o Nino e o Luiz Henrique, já será um peso. Vamos aguardar.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários