Boliviana investigada pelo acidente no voo da Chapecoense é solta depois de seis meses
Lance!
Boliviana investigada pelo acidente no voo da Chapecoense é solta depois de seis meses


As investigações do acidente aéreo envolvendo a delegação da Chapecoense seguem a todo vapor. Celia Castedo Monasterio , responsável por analisar e aprovar o voo que culminou no desastre, foi solta na manhã desta quarta-feira (30). Controladora estava presa deste setembro do ano passado. A informação é do G1.

Durante a saída da prisão, Célia disse que foi "angustiante" ficar detida e afirmou que a análise da justiça foi muito demorada.

- Angustiante. Se arrastou muito. Demorou, mas sei que existe todo um trâmite - disse Célia.

Agora, o intuito da boliviana é retornar para seu país de origem e ficar perto da família.

- Vou voltar para Bolívia com minha família, com meu marido, meus filhos - afirmou Célia.

O ministro Gilmar Mendes condenou a controladora alegando que Célia era "procurada pela Justiça Boliviana para responder pela suposta prática do crime de atentado contra a segurança do espaço aéreo". De acordo com a defesa de Célia, o governo boliviano não oficializou um pedido de extração e com isso, a investigada responderá o processo em seu país de origem.

O trágico acidente da Chapecoense ocorreu no dia 28 de novembro de 2016 e deixou uma marca profunda no futebol brasileiro. O time comandado por Caio Júnior voava para disputar a final da Sul-Americana, mas infelizmente, a delegação do clube não pôde estar presente para enfrentar o Atlético Nacional na Colômbia. Porém, apesar da triste situação, em um gesto generoso e simbólico, a Chape foi considerada campeã da competição.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários