Vítor Pereira completa um mês de Corinthians com amargor de eliminação e correções a fazer
Fábio Lázaro
Vítor Pereira completa um mês de Corinthians com amargor de eliminação e correções a fazer


A ressaca moral de uma eliminação certamente não era o que o técnico Vítor Pereira esperava no dia que em que completa um mês à frente do Corinthians .

Ainda assim, já eram sabidas as dificuldades que o português teria em ‘trocar pneu com carro em movimento’, quando comandou o seu primeiro treino no CT Joaquim Gravam no dia 28 de fevereiro.

> GALERIA - Veja todos os técnicos estrangeiros do Timão
> TABELA - Confira a tabela da Copa Libertadores e simule os jogos

No último domingo (27), véspera do primeiro ‘mesversário’ de VP no Timão, a equipe do Parque São Jorge foi derrotada por 2 a 1 pelo São Paulo, no estádio do Morumbi, e ficou de fora da final do Campeonato Paulista. E a desclassificação para o rival tricolor ficou longe de ser uma surpresa, até mesmo para os corintianos, principalmente por conta da quantidade de jogos, sendo muitos deles de extrema importância, em curto período de tempo.

Mesmo sabendo que estava ‘trocando pneu com carro em movimento’, Vítor não escondeu o gosto amargo de uma eliminação para um rival.

- Perder não está na minha natureza. Não há dúvida nenhuma de que eu não nasci para perder, eu vivo muito mal com a derrota. Eu também tenho que ser realista e preciso ver que chegamos a um mês, já disputamos três clássicos, todos fora de casa, em condições difíceis de recuperação entre os jogos. Quase que ainda não tivemos oportunidade para trabalhar – disse Vítor em entrevista coletiva após a derrota no Majestoso.

Além de encarar o Tricolor, no Morumbi, na semifinal do Paulistão, Pereira já havia estreado no comando corintiano contra o mesmo adversário, no último dia 5 de março, e sendo derrotado por 1 a 0, e também enfrentou o Palmeiras, no dia 17 do mesmo mês, em jogo atrasado da sexta rodada do Estadual, e perdeu por 2 a 1.

Em seis jogos sob o comando corintiano, a metade foram clássicos como visitantes, e todos com derrotas do Timão. Mas a partida contra o São Paulo, pela semifinal do Paulistão, foi o que o Corinthians demonstrou as maiores fragilidades sob o comando de VP.

- Agora, infelizmente - ou felizmente - teremos uma semana de trabalho para corrigirmos. Neste tempo todo que estive aqui, poucas vezes tive oportunidade de ir ao campo e corrigir o que queríamos. Infelizmente estamos fora dessa competição (Campeonato Paulista) – destacou Vítor Pereira.

Serão nove dias de intervalo entre a eliminação no Estadual e o próximo compromisso corintiano, que é justamente a estreia do clube na Libertadores, contra o Always Ready, da Bolívia, na altitude de 4.090 metros de El Alto, na cidade de La Paz.

O intervalo que o Corinthians terá na Libertadores será importante para ajustar a parte física do elenco, que tem como principais peças atletas idade mais avançada, como os meias Giuliano, Paulinho, Renato Augusto e Willian, além de jogadores que estão há mais tempo no clube e com maior identificação, como Cássio, Fagner e Gil, todos eles com mais de 30 anos de idade.

O tempo de trabalho ajudará a reforçar o físico de peças mais velhas do elenco corintiano, mas também de aprimorar os jovens. Contra o São Paulo, o lateral-direito Fagner sentiu dores e saiu no início do jogo. Quando isso aconteceu Vítor Pereira promoveu a entrada do zagueiro Robson, de 24 anos, e o defensor fez uma partida segura.

- Quase que ainda não tivemos oportunidade para trabalhar. Claramente para dar resposta a um calendário desses, de tantos jogos consecutivos, claramente é importante fazer evoluir os mais jovens, que são soluções também. Hoje, por exemplo, o Robson, para mim, fez um belíssimo jogo, deu a resposta que nós temos que ter – explicou VP.

Fora da decisão do Paulista, Vítor Pereira ainda terá um decorrer de ano com calendário cheio no Corinthians, com disputa de Copa do Brasil, Campeonato Brasileiro e Copa Libertadores de América.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários