Martinelli vê cobranças como normais e avalia dificuldades do Fluminense após sair com vantagem
Luiza Sá
Martinelli vê cobranças como normais e avalia dificuldades do Fluminense após sair com vantagem


O Fluminense conquistou o objetivo de chegar à final do Campeonato Carioca, mas acabou perdendo para o Botafogo por 2 a 1 na semifinal e foi vaiado pela torcida neste domingo, no Maracanã. Após a partida, o volante Martinelli falou sobre a reação do grupo aos xingamentos e avaliou o rendimento da equipe. Agora, o Tricolor vai encontrar pelo terceiro ano seguido o Flamengo na decisão da competição.

- É um direito do torcedor cobrar a gente. Temos um grande time, um grande elenco. As cobranças são normais. Mas foi o primeiro clássico que perdemos no ano, não tira nossa confiança. Quarta-feira já temos uma batalha. Vamos descansar, colocar a cabeça no lugar e ver o que tem para melhorar para não repetir os erros. Hoje pecamos em algumas coisas, mas quarta não pode acontecer porque vale a taça - avaliou.

- No treino nós conversamos para melhorar o entrosamento. A torcida tem total direito de cobrar, temos um grupo muito, muito bom, com reservas qualificados que sempre dão conta do recado. Com esses jogadores que temos, acaba vindo a cobrança para mostrar um futebol melhor. Acho que estamos no caminho, evoluindo e quarta-feira vamos fazer um bom jogo - completou.



O roteiro do clássico com o Botafogo poderia ser bem parecido com o da eliminação para o Olimpia, do Paraguai, na Libertadores. O Flu venceu a ida por 1 a 0, mas jogou muito mal e sofreu um gol nos acréscimos. Germán Cano, porém, apareceu na hora certa para descontar e garantir a vaga. Martinelli falou sobre a dificuldade do Tricolor em jogar tendo a vantagem.

- Quando o outro time precisa do gol, se atira mais, arrisca mais. Tentamos fazer uma partida defensiva, sofremos alguns contra-ataques no primeiro tempo. Fizemos um jogo controlado, eles tiveram poucas chances. Acho que no primeiro tempo foi apenas uma bola no gol. Vamos ver o que tem para acertar para quarta-feira. Nossa estratégia foi entrar para ganhar o jogo. Até que no primeiro tempo marcamos em cima, tivemos chances de fazer o gol, roubamos bolas no campo deles. Acho que não entramos pensando no resultado. A vantagem só vem nos acréscimos, acho que entramos para ganhar o jogo - disse o jovem.

Outro que foi xingado foi o técnico Abel Braga em pelo menos duas oportunidades, assim como o presidente Mário Bittencourt. Martinelli falou sobre como o grupo vê a atual relação da torcida com o time.

- O Abel é um cara muito do bem, sempre escuta os jogadores, vê o que precisa melhorar e passa para nós. Ele não vai ligar para as vaias, é normal, todo clube tem essa cobrança. É um cara que apoia, dá confiança, escuta nossas ideias quando algo não está legal. Mas é um cara que abraça a gente e tem total apoio do grupo - afirmou.

A primeira partida da final do Carioca acontece na quarta-feira, às 21h35, enquanto a segunda será no sábado, às 16h. Ambos são no Maracanã e desta vez não há qualquer vantagem e o empate leva a decisão aos pênaltis.

- Sabemos que eles têm um time muito qualificado. Mas nos jogos anteriores a gente tem levado vantagem. Temos que dormir, descansar a cabeça. O que passou, passou. Quarta-feira é uma final e final tem que ganhar. Tem que jogar e se impor. Tenho certeza que isso não vai faltar - finalizou.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários