Cássio, Paulinho, Renato e cia: confira o que os jogadores do Corinthians falaram na volta da zona mista
Fábio Lázaro
Cássio, Paulinho, Renato e cia: confira o que os jogadores do Corinthians falaram na volta da zona mista


A vitória do Corinthians nos pênaltis sobre o Guarani, após empate em 1 a 1 durante o tempo norma l, marcou a volta do atendimento dos jogadores após a partida na zona mista da Neo Química Arena.

Destaques do jogo como o goleiro Cássio, que defendeu o pênalti decisivo, e o meia Renato Augusto, que foi eleito o craque da partida, falaram com a empresa na saída do estádio.

Lideranças como Fagner, Willian e Paulinho também parara para atender a imprensa, assim como atletas mais jovens, como Du Queiroz.

O estreante Júnior Moraes, que entrou no segundo tempo, e converteu uma das cobranças de pênaltis, foi outro atleta que concedeu entrevista.

Confira o que falaram na íntegra os atletas que passaram pela primeira zona mista corintiana em dois anos.

> TABELA - Confira os jogos da reta final do Paulistão
> GALERIA - Veja o retrospecto do Timão no novo formato do Paulistão


CASSIO SOBRE APOIO DA TORCIDA NA DISPUTA POR PÊNALTIS


- Feliz, a gente fica feliz porque passa um filme. Não tem como lembrar o quando você trabalhou e se dedicou par achegar. Poucos conseguiram chegar a esse tempo de clube. A gente sabe como é o Corinthians, sabe como é a pressão, mas sabe quanto a torcida empurra e ajuda, e você poder vestir essa camisa, lógico que a gente fica feliz, mas não pode se empolgar, ficar focado.

CASSIO SOBRE MAIS UM GOL SOFRIDO PELO CORINTHIANS EM LANCE DE BOLA PARADA

- Ele (João Victor, autor do gol do Guarani) foi muito feliz, saiu muito do chão e acabou sendo feliz na cabeçada. Nós temos que melhorar, a gente é forte na bola ofensiva e temos que tomar menos gol possível, porque uma bola parada pode decidir o jogou, então vamos ver vídeos, e trabalhar para corrigir esses erros e eles não acontecerem nos próximos jogos.

RENATO AUGUSTO SOBRE O QUE FALTOU PARA O CORINTHIANS FAZER MAIS GOLS NO PRIMEIRO TEMPO

- Faltou realmente só o gol, porque criamos bastante. Mas isso é do futebol, quantas vezes fizemos um jogo não tão bom e ganhamos de um a zero. Importante é que estamos criando, se dedicando bastante para poder melhorar. Não temos muito tempo para trabalhar, infelizmente, uma coisa que o mister fala muito, então procuramos ajustar na base da conversa e do vídeo.

RENATO AUGUSTO SOBRE O QUE FALTOU PARA O CORINTHIANS MANTER O NÍVEL DO PRIMEIRO TEMPO NO SEGUNDO

- O adversário também mudou a forma de jogar. Tentamos de tudo, fizemos mudanças, mas infelizmente o gol não saiu.

RENATO AUGUSTO SOBRE O CORINTHIANS NÃO CONSEGUIUR LEVAR A SEMIFINAL PARA ITAQUERA E DIFERENÇA FÍSICA COM O SÃO PAULO NA SEMIFINAL

- Perdemos o mando, o que pesa bastante, porque aqui jogamos com um a mais. Vamos ter dois dias a menos de descanso que o São Paulo. Esses dois dias temos que procurar ao máximo descansar, comer bem e se preparar para domingo. Na hora que começa o jogo a gente esquece que tivemos dois dias a menos de descanso. Temos que estar preparados, quando a gente veste essa camisa, a responsabilidade é grande.

RENATO AUGUSTO SOBRE A SEMIFINAL

- Cada jogo tem sua história, não podemos ficar usando o último jogo. Muita coisa mudou. Precisamos melhorar, claro, um monte de coisa, mas não temos tempo para ajeitar muita coisa. Temos que entrar ligados desde o primeiro segundo para não tomar gol no início, isso muda muito o jogo. É muito importante entrar bem.

PAULINHO SOBRE O MOTIVO DE NÃO TER BATIDO PÊNALTI

- Foram escolhidos outros jogadores. Foi alternando, quando chegasse na minha vez bateria o pênalti tranquilamente.

PAULINHO SOBRE A ATUAÇÃO DO CORINTHIANS NO SEGUNDO TEMPO

- Acho que na segunda parte, talvez, a gente acelerou no início da partida. Acho que era o momento de trabalhar a bola, segurar, esperar o Guarani vir também. Fizeram uma marcação individual na partida inteira praticamente. Na segunda parte, aceleramos mais quando devíamos ficar mais com a bola e chamar a equipe deles. Por isso que houve mais desgaste. Talvez a gente, não digo que errou, se perdeu um pouco no sentido de cair no jogo deles. Mas é como eu falei, faz parte do jogo, não tem como prever como vai ser. Ao mesmo tempo que temos que melhorar, já temos que pensar no clássico que temos pela frente.

PAULINHO SOBRE CONDIÇÃO FÍSICA

- De conquistar, óbvio que eu não posso garantir. De me entregar, se vai ser o mesmo de 2012 ou não, não sei. Sei que venho trabalhando, fazendo de tudo para que eu sempre consiga jogar bem, consiga me entregar aos companheiros, ajudar coletivamente. Não tem nem comparação. Não temos que comparar, muito menos eu. Óbvio que o torcedor espera, e eu entendo, mas sempre deixei claro quando voltei é que entrega não ia falar. Venho trabalhando e me entregando dentro de campo.

PAULINHO SOBRE VANTAGEM FÍSICA DO SÃO PAULO NA SEMIFINAL

- Ter um tempo a mais de recuperação influencia, faz bem para a equipe que tem mais tempo. Mas não vamos questionar aqui. Acho que temos que, pelo contrário, passar por cima disso. Faz parte, é um jogo, é o calendário. Eles têm uma recuperação maior, mas não temos que pensar nos outros, temos que pensar em nós, recuperar e entrar em campo para buscar a classificação.

PAULINHO SOBRE REENCONTRO COM O SÃO PAULO ESTANDO MAIS ENTROSADO

- Acho que não. É um clássico. Rogério está fazendo um grande trabalho, Vítor Pereira chegou agora, está colocando sua forma, sua filosofia, e estamos tentando nos adaptar o mais rápido possível. Mas clássico, em semifinal, é relativo dizer. Tudo pode acontecer.

JUNIOR MORAES SOBRE PRESSÃO NA COBRANÇA DE PÊNALTI

- Momento decisivo, sei que podemos viver num pênalti a possibilidade de ser vilão ou herói, mas acho que foi importante chamar a responsabilidade, começar com o pé direito e, graças a Deus, deu tudo certo.

JUNIOR MORAES SOBRE JOGAR NA NEO QUÍMICA ARENA

- Joguei em vários estádios diferentes na minha carreira, mas acho que nunca vi a torcida jogando desse jeito como foi aqui.

JUNIOR MORAES SOBRE CONDIÇÃO DE TITULARIDADE

- Deixo a decisão para o treinador e a comissão técnica. A minha parte física com certeza preciso melhorar por tudo o que passei no passado, totalmente parado. Preciso melhorar e preciso de um tempo para desempenhar o meu melhor futebol. Mas estou à disposição do treinador para jogar o quanto tempo ele precisar. Fica com o mister.

FAGNER SOBRE JOGO CONTRA O GUARANI

- Não sofremos, Cássio não fez uma defesa. A dificuldade que tivemos no segundo tempo foi por erros nossos, de repente de acelerar muito no último terço, poderíamos ter mais tranquilidade. São coisas que vamos melhorando. Mas o mais importante foi a classificação.

MOSQUITO SOBRE EVOLUÇÃO COM VÍTOR PEREIRA

- Estou evoluindo. Vou aprender muito com o Vítor ainda, já estou. Eu não estou voltando tanto para marcar. Essa pressão ele quer que faça mais em cima do zagueiro. Vamos evoluir muito, fazer um grande ano.

MOSQUITO PROJETA SEMIFINAL CONTRA O SÃO PAULO

- É clássico, é semifinal, então é 50/50. Vamos tentar corrigir o máximo de erros possíveis para entrar lá focados e conseguir a classificação, que é tão importante para nós, além de dar confiança para o resto da temporada.

DU QUEIROZ SOBRE CORRER POR RENATO AUGUSTO E PAULINHO

- Eu sei que minha função é essa, esse trabalho sujo. Quando temos caras como Paulinho e Renato Augusto, não tem nem o que fazer, tenho que correr o máximo para eles. São absurdos tecnicamente. Sei que minha função é essa, e vou dar o máximo possível nela.

DU QUEIROZ SOBRE TER 48 HORAS PARA A SEMIFINAL

- A gente não pode usar isso como escada, nossa vida é essa, sabemos que jogamos de dois em dois dias. Agora é recuperar o máximo para chegar no domingo e fazer um grande jogo.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários