ANÁLISE: sofrimento contra o Guarani mostra que Corinthians de Vítor Pereira precisa de tempo para engrenar
Rafael Marson
ANÁLISE: sofrimento contra o Guarani mostra que Corinthians de Vítor Pereira precisa de tempo para engrenar


O Corinthians precisou de 90 minutos e sete penalidades para eliminar o Guarani e avançar às semifinais do Campeonato Paulista . O Timão fez um ótimo primeiro tempo, mas teve queda vertiginosa na segunda etapa e por pouco não ficou pelo caminho no estadual.

> GALERIA - Relembre os jogos de mata-mata do Timão na Neo Química Arena

O técnico português optou por colocar Gustavo Silva no lado direito do ataque, repetindo a mesma escalação da goleada por 5 a 0 contra a Ponte Preta. À princípio, tudo indicava para mais um placar elástico.

O time do Parque São Jorge controlou a posse no primeiro tempo, executou a pressão no campo do adversário, recuperando bolas em setores avançados do gramado, e criou diversas oportunidades de gol. Segundo o Footstats, o Timão deu sete chutes na meta de Mauricio Kozlinski.

Com volume de jogo e domínio das ações, a equipe explorou as bolas paradas. Foram sete escanteios, e a maioria cobrados da mesma forma (aberto no segundo pau), até Gil abrir o placar.

A única grande chance do Bugre na primeira etapa veio nos pés de Madson, que acertou lindo chute na trave de Cássio.

> TABELA - Confira os jogos e simule a reta final do Paulistão

O Corinthians voltou com certo ímpeto ofensivo na segunda etapa, mas uma desatenção no escanteio foi o suficiente para a equipe da casa ser desestabilizada.

Mesmo com as substituições, Vítor Pereira não conseguiu retomar a agressividade vista nos primeiros 45 minutos. O alvinegro paulista passou todo o segundo tempo sem dar um chute sequer ao gol, segundo o site de estatísticas Footstats.

Júnior Moraes recebeu poucas bolas no ataque, Paulinho não conseguia realizar suas clássicas infiltrações na área, e os pontas, seja Willian, Mantuan, Adson e Gustavo Silva, não eram acionados em situações de superioridade numérica.

Ficou claro contra o Guarani que, embora seja possível ver o estilo de jogo de Vítor Pereira ganhando forma no Corinthians, a equipe precisa melhorar tanto na parte física quanto mental para executar com mais consistência as ideias do novo treinador, que está se adaptando as nuances do futebol brasileiro.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários