Adaptado ao Fluminense, Arias volta a ser decisivo em clássicos e reforça merecimento por titularidade
Luiza Sá
Adaptado ao Fluminense, Arias volta a ser decisivo em clássicos e reforça merecimento por titularidade


Pouco mais de sete meses depois de ser anunciado , Jhon Arias parece estar 100% adaptado ao Fluminense . Levou algum tempo, mas o colombiano está cada dia mais confortável em campo, especialmente com a chegada dos novos companheiros para a atual temporada. Com contrato até agosto de 2025, o meia-atacante é o segundo jogador que mais participou de gols até o momento e foi decisivo em outro clássico importante, marcando o gol da vitória por 1 a 0 sobre o Botafogo na semifinal do Campeonato Carioca.

Nessa nova fase, Arias tem gostado de ser decisivo para o Flu. Foi ele quem garantiu a primeira vitória na temporada, sobre o Madureira, além do triunfo no clássico com o Flamengo, ambos por 1 a 0. Ele também deu a assistência para Calegari confirmar o 3 a 0 sobre o Volta Redonda (e foi um dos melhores em campo), balançou a rede sacramentando a classificação ao fazer o 2 a 0 sobre o Millonarios na segunda fase da Libertadores e abriu o placar no jogo do título da Taça Guanabara, finalizado com um 4 a 0 contra o Resende, quando também deu um passe para gol.



Até o momento, são cinco gols e duas assistências para o colombiano em 14 partidas na temporada. Ele foi titular em apenas metade delas, mas ganhou a vaga com Abel Braga nos dois últimos jogos, algo que já vinha merecendo há algum tempo. Entre os que mais participaram diretamente dos gols, Arias está atrás apenas de Germán Cano, que tem um gol a mais e também deu duas assistências. Mas o centroavante, por exemplo, dá menos passes que resultam em finalizações, com oito contra 17.

No clássico com o Botafogo na última segunda-feira, Arias deu quatro desarmes, uma finalização, a que resultou em gol, além de dois dribles certos e oito de 12 duelos ganhos. Ele foi o grande destaque, apesar da atuação ruim do Fluminense, tentando a todo momento criar as jogadas e avançar ao ataque.

Em entrevista coletiva recente, Arias explicou que a demora para mostrar o bom futebol se deu pela parte psicológica . O meia perdeu a avó Concepción Becerra Rentería em setembro de 2021, pouco depois de chagar ao Brasil. Por isso, demorou a ter sequência para ficar confortável ao ambiente.

- Estou em uma boa sequência, mais em virtude do que vem fazendo o coletivo. O Fluminense vem de uma sequência de vitórias e boas atuações. Sinto que no ano passado eu tive um momento muito difícil da minha vida, creio que o mais difícil, a morte da minha vó, que era um pilar aqui em casa. Foi um momento difícil psicologicamente. Mas tive tempo de férias, passar tempo com minha família, organizar tudo. Precisava desse tempo. Foi tempo de assumir que precisava fazer as coisas bem e graças a Deus as coisas estão acontecendo.

Jhon Arias pertencia ao Patriotas e estava emprestado ao Independiente Santa Fe, ambos clubes da Colômbia. O Tricolor desembolsou 600 mil dólares (R$ 3,1 milhões na cotação da época) por 50% dos direitos do jogador. Ele acabou não participando da Libertadores em 2021 pois o Flu foi eliminado nas quartas de final para o Barcelona de Guayaquil (EQU), mas na temporada passada fez 21 partidas, apenas nove como titular, e marcou um gol.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários