Vasco muda postura, tem ambição ofensiva contra o Flamengo, mas fechará 2022 sem vencer clássicos
Felipe Melo
Vasco muda postura, tem ambição ofensiva contra o Flamengo, mas fechará 2022 sem vencer clássicos


Em desvantagem por ter perdido o jogo de ida, Zé Ricardo apostou em um Vasco um pouco mais agressivo no ataque, no Maracanã. No entanto, apesar da partida equilibrada, a defesa voltou a falhar, e o Flamengo venceu mais uma e avançou à final do Campeonato Carioca. Com isso, o Cruz-Maltino fechará 2022 sem vencer clássicos e terá três semanas de preparação para a estreia na Série B.

A entrada de Figueiredo entre os titulares foi importante por ser um jogador mais forte fisicamente, que busca constantemente a finalização. O time fez um jogo equilibrado e em alguns momentos incomodou o adversário. A mudança de postura foi essencial para o Vasco ser mais competitivo, e não ficar atrás como aconteceu na quarta.



Após o bom passe de Figueiredo, Nene recebeu e arriscou de longe obrigando Hugo Souza a fazer uma grande defesa. O time marcou bem e trocou a linha de seis na defesa que apresentou no jogo anterior. Com mais aproximação, o que pesou foi a diferença de qualidade entre os elencos, mas a entrega não faltou. Na frente, Raniel novamente não conseguiu segurar a bola no ataque e ter uma boa atuação.

É verdade que o Flamengo tinha uma grande vantagem e tentou administrá-la. Mas dos três duelos contra o rubro-negro, esse foi o que o Vasco teve a melhor atuação, sem renunciar o ataque ou sendo preivisível. Ainda no primeiro tempo, Nene voltou a arriscar de longe, mas a bola passou rente à trave rubro-negra.

+ Confira e simule a tabela do Campenato Carioca

A defesa praticamente não deu espaço nos primeiros quarenta e cinco minutos. Anderson Conceição e Quintero fizeram uma dupla sólida e tiveram boas atuações. Léo Matos, que fazia bom jogo, sentiu e foi substituído por Weverton. No primeiro tempo, a melhor chance do Flamengo saiu dos pés de Pedro, mas Thiago Rodrigues foi seguro e evitou o gol.

Flamengo x Vasco

Vasco fez um clássico equilibrado no Maracanã (Gilvan de Souza/Flamengo)

Na volta do intervalo, Nene voltou a incomodar Hugo, e Edimar acertou um chute forte para grande defesa do arqueiro. Contudo, a defesa cruz-maltina voltou a falhar. Juninho perdeu domínio da bola e sofreu um desarme. Na sequência do lance, a partir de um escanteio, a zaga não conseguiu afastar e Willian Arão aproveitou para balançar a rede.

+ ATUAÇÕES: Vasco muda postura, mas perde; Figueiredo se destacou, mas Juninho, Edimar e Raniel foram mal

Ao estar em desvantagem no placar, Zé Ricardo colocou em campo Yuri Lara e Luiz Henrique para fortalecer o meio de campo, mas o time não teve mais força para reagir. Vitinho e Bruno Nazário também entraram, mas a situação já estava definida a favor do rival, no Maracanã. Nene ainda teve tempo de cobrar uma falta que passou por todo mundo e acabou tocando na trave.

A eliminação faz com que o Vasco finalize o ano sem vencer um rival carioca sequer. Foram cinco derrotas com apenas um gol marcado e sete sofridos nos clássicos deste Estadual. Como também já deixou Copa do Brasil e está em uma divisão diferente, o time de São Januário só irá reencontrar Botafogo, Flamengo e Fluminense em 2023.

+ Apesar da derrota, Zé Ricardo elogia empenho do Vasco no clássico: 'Deu orgulho de ver nosso grupo jogar'


O Vasco se reapresenta na quarta-feira e inicia a sequência de três semanas livres antes da estreia na Série B. A última impressão foi de que o time precisa de reforços, sobretudo para o setor ofensivo. O miolo de zaga parece mais consolidado, assim como o goleiro. As laterais, porém, ainda dão dor de cabeça ao torcedor. O Gigante da Colina mede força com o Vila Nova, dia 9, em São Januário, pela abertura da segunda divisão.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários