Palmeiras e Corinthians colocam frente a frente dois dos grandes meias do Brasil
Fábio Lázaro
Palmeiras e Corinthians colocam frente a frente dois dos grandes meias do Brasil


Além da disputa no banco de reservas, envolvendo Abel Ferreira e Vítor Pereira , o clássico entre Palmeiras e Corinthians , que será disputado nesta quinta-feira (17), às 20h30, no Allianz Parque, pela sexta rodada do Campeonato Paulista , também terá o duelo individual entre dois dos grandes meias do futebol brasileiro na atualidade: Raphael Veiga, do Verdão, e Renato Augusto, do Timão.

Em comum, ambos são os cérebros da criação das suas equipes e nomes observados pela comissão técnica da Seleção Brasileira para a Copa do Mundo do Qatar, que será realizada neste ano, entre os meses de novembro e dezembro.

> TABELA - Confira e simule os próximos jogos do Paulistão
> GALERIA - Raphael Veiga ou Renato Augusto? Redação do LANCE! opina

O nome da dupla circula com mais força entre a comissão técnica de Tite desde o fim do ano passado, quando o Brasil confirmou a sua classificação para o Mundial ao vencer a Colômbia, em São Paulo, na Neo Química Arena, por 1 a 0.

Veiga é um jogador observado pela crescente no Palmeiras, onde aos poucos se tornou protagonista e hoje tem papel de destaque, já Renato Augusto sempre foi uma espécie de 'pupilo' de Tite, desde a primeira passagem do meia pelo clube do Parque São Jorge, onde foi o pilar de títulos como o Paulistão e a Recopa Sul-Americana de 2013 e, principalmente, o Brasileirão de 2015., comandado pelo atual técnico da Seleção Brasileira, que à época dirigia o Timão.

Nos arredores da CBF há quem diga que o ‘Seo Adenor’ viu com animação o retorno de Renato ao futebol brasileiro no segundo semestre de 2021, pois sempre quis contar com o camisa 8 corintiano na sua lista final no Qatar. Mas o treinador também entendia que a idade do jogador, atualmente com 34 anos, atrelado ao atleta estar atuando na China jogava contra ele em relação a outros atletas monitorados e convocados com maior frequência nesse ciclo de Copa.

Quando a volta de Renato ao Brasil foi confirmada, a comissão da Seleção Brasileira ainda manteve a cautela, no pensamento de aguardar parar ver se a partir física do meia teria evolução em relação a que tinha na China, mesmo que quando foi convocado para a última Copa do Mundo, Renato Augusto ainda jogava pelo Beijing Guoan.

Desde que voltou ao Timão, Renato Augusto esteve em 30 dos 32 jogos do clube, sendo 24 como titular, tendo marcado seis gols e dado duas assistências. Nesta temporada, até aqui, o camisa 8 só ficou fora de um jogo, contra o Santo André, no ABC Paulista, pela segunda rodada do Paulistão.
Esses números, o vigor físico demonstrado por Renato a proximidade do jogador com Tite, que poderia leva-lo como uma espécie de liderança técnica e ‘homem de confiança’ colocam Renato em ótimas condições de um retorno à Seleção Brasileira após quatro anos.

No caso de Raphael Veiga, o que tem impressionado Tite e a sua comissão é a forma com que o jogador chegou como coadjuvante no clube, em 2017, tendo até mesmo sido emprestado para o Athletico-PR no ano seguinte, e se tornou de forma discreta um dos principais jogadores da equipe.

O treinador da Seleção costuma dividir os jogadores de destaque em listas de maturação, onde alguns jogadores que se destacam aparece para serem observados, mas outros que já possuem certa constância passam para um estágio mais próximo de convocação. E nesta segunda lista é onde justamente está Raphael.

É de consenso, até mesmo entre as pessoas que transitam na Seleção, que passou da hora do meia palmeirense ter uma chance, até mesmo Tite sabe disso, mas a proximidade da Copa e a necessidade de se ter uma ideia de grupo estando cada vez mais perto do início do Mundial atrapalha as pretensões de testar o camisa 23 do Verdão, que no ano passado esteve em 54 das 72 partidas do Palmeiras, sendo 49 como titular, marcando 18 gols, o artilheiro o elenco palmeirense no ano passado, e dando quatro assistências.

Mesmo sendo mais novo e esteja em boa fase durante mais tempo, a impressão é que Raphael Veiga estaria atrás de Renato Augusto em uma possível brecha nas listas da Seleção Brasileira que antecedem a convocação final para a Copa do Qatar. A experiência com a Amarelinha e a proximidade em ideias táticas e técnicas com o treinador deve pesar em um possível ‘par ou ímpar’ de Tite com esses dois jogadores.

Enquanto não estarão na Seleção, pelo menos na convocação dos dois últimos jogos das Eliminatórias, contra Chile e Bolívia, nos próximos dias 24 e 29 de março, Raphael Veiga e Renato Augusto medem forças pelos seus clubes em Dérbi que não vale nada em termos de classificação, já que ambos os times já estão na próxima fase do Estadual, mas que, ainda assim, abrirá os clássicos entre Corinthians e Palmeiras em 2022, sendo o primeiro com capacidade total permitido no estádio desde o início da pandemia do novo coronavírus, em 2020.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários