Lideranças de características variadas comandam Vasco e Flamengo na semifinal do Carioca
Felippe Rocha e Matheus Dantas
Lideranças de características variadas comandam Vasco e Flamengo na semifinal do Carioca


Invariavelmente, um clássico é um jogo de nervos à flor da pele. Exige mais concentração ainda de todos em campo para que os resultados desejados sejam alcançados. Para tanto, os líderes de cada time se destacam, sejam os capitães ou não, no comando de cada equipe dentro das quatro linhas. E não será diferente no Vasco x Flamengo desta quarta-feira.

O Cruz-Maltino tem líderes com diferentes personalidades, mas são os experientes que costumam orientar a equipe em campo. Nene, mais velho do elenco com 40 anos, alterna entre as brincadeiras nos treinos e a seriedade no campo; o goleiro Thiago Rodrigues é mais falante; Edimar já fez piada até com um torcedor na arquibancada durante um jogo; e Anderson Conceição é um xerife discreto.



- Eu vou mais pelo exemplo, sempre trabalhando, sempre focado e tendo regularidade para que os outros também vejam isso. Mas, no nosso grupo, independentemente da idade, todos são líderes, todos podem falar. É um grupo humilde, sempre aberto para que todos possam crescer juntos. Independentemente de ter um, dois ou três líderes. Todos fazem parte - valoriza Anderson.

A missão do Vasco é dura. Superar, em dois jogos, um time notadamente superior, com folha salarial três vezes maior e com a vantagem dos resultados e saldo de gols. Cabe aos líderes cruz-maltinos guiar o time de São Januário na missão. Aos rubro-negros, a missão é manter a humildade. O último jogo entre as equipes já não refletiu a diferença no papel.

NO FLA, A LIDERANÇA É TÉCNICA
Em meio às mudanças táticas impostas por Paulo Sousa - que fará sua 11ª partida no comando do time nesta quarta -, dois experientes nomes se encarregam de liderar o sistema defensivo do Flamengo: David Luiz e Filipe Luís. Como zagueiro central e terceiro homem pela esquerda, respectivamente, a dupla coordena o posicionamento dos companheiros. A formação com três zagueiros ainda carece de ajustes, mas a evolução é nítida.

- Hoje, nas condições que estou e na idade que tenho, é uma posição que domino, me sinto muito confortável em campo. Talvez seja a que eu tenha as coisas mais claras, pois é controlar a parte defensiva. Mas, como nosso time tem quase sempre a bola, eu participo muito do jogo ofensivo também - afirmou Filipe em entrevista recente à FlaTV.

-> Confira a tabela do Campeonato Carioca

Melhor ataque da Taça Guanabara, o Flamengo conta com a liderança técnica de Arrascaeta e Gabigol. O meia uruguaio vive grande início de temporada, que marcou quatro gols e deu três assistências nas últimas quatro partidas do Estadual. O camisa 9 também segue em grande fase. É o artilheiro da competição, com sete gols em sete rodadas. São os mais decisivos de um elenco multicampeão e motivado por dois motivos: conquistar o inédito tetracampeonato estadual e mostrar serviço para o novo treinador português.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários