Dérbi coloca Palmeiras e Corinthians frente a frente pela 13ª vez na história com técnicos estrangeiros
Rafael Ribeiro
Dérbi coloca Palmeiras e Corinthians frente a frente pela 13ª vez na história com técnicos estrangeiros


O dérbi da próxima quinta-feira (17) entre Palmeiras e Corinthians , às 20h30 (de Brasília), no Allianz Parque, pelo Campeonato Paulista , muito mais do que marcar o primeiro confronto entre os rivais com técnicos portugueses no banco de reservas, será o 13º da história em que os treinadores das duas equipes serão estrangeiros.


O duelo entre o palmeirense Abel Ferreira e o corintiano Vitor Pereira será o primeiro entretanto na era do pleno profissionalismo, desde que foi implantado, em 1933 - demoraria alguns anos contudo para se adaptar.

A maioria dos dérbis com comandantes estrangeiros nos bancos dos rivais aconteceu no período entre os anos 1920 e 1930, quando o futebol caminhava para se tornar o esporte mais popular da cidade e os clubes, tais como agora, apostavam em nomes vindos de mercados onde ele já estava mais estabelecido.

Foi diante desse panorama, por exemplo, que aconteceram dois jogos da lista em que os técnicos eram europeus.

Em 1º de dezembro de 1929, o Corinthians do italiano Virgílio Montarini conquistou o título paulista de forma invicta sobre o Palestra Itália do húngaro Emeric Hirschel após uma sonora goleada por 4 a 1 no antigo Parque Antártica, hoje a reformada arena alviverde.

Montarini marcou época no Timão, ficou até 1932 e conquistou o tri em 1930 diante de um Palestra que continuou apostando em húngaros. No dérbi de 4 de maio daquele ano, contudo, Eugenio Medgyessy 'Marinetti' conseguiu quebrar a invencibilidade rival com uma vitória por 1 a 0 no Parque São Jorge.

O jogo entrou para a história após os palestrinos abandonarem o campo sob pedras e garrafas, inconformados com a anulação do que seria o segundo gol da partida e até hoje a validade oficial do confronto é discutida pelos rivais.

'Marinetti' e Monarini protagonizaram mais alguns embate ao longo dos próximos dois anos, até que ambos fossem substituídos por nomes da tradicional escola uruguaia, então em voga no futebol com o bi olímpico e o título da primeira Copa do Mundo, disputada em 1930.

E aí, com isso, por apenas duas vezes na história até a próxima quinta, o dérbi teve treinadores comandando as equipes com a mesma nacionalidade.

Isso aconteceu no ano de 1933. O uruguaio Ventura Cambon treinava o Palestra Italia e o seu compatriota Pedro Mazzulo era o técnico corintiano. Os alviverdes levaram a melhor nos dois confrontos, com goleadas históricas. A primeira foi em 7 de maio, por 5 a 1, no Parque São Jorge. A segunda, em 5 de novembro, no Palestra Itália, é o maior placar registrado até hoje no confronto: 8 a 0.

TABELA
> Veja classificação e simulador do Paulistão-2022 clicando aqui

> Conheça o aplicativo de resultados do LANCE!

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários