Estilo além da vaidade: barbeiro Diego Henrique destaca a importância do visual na carreira dos atletas
Lance!
Estilo além da vaidade: barbeiro Diego Henrique destaca a importância do visual na carreira dos atletas


Apesar da popular "casca-grossagem", a maioria dos lutadores não abre mão de chegar no dia da luta com a barba e o penteado em dia. Esse cuidado vai além da vaidade, ele valoriza o atleta como produto, assim como já acontece há muito tempo em outros esportes: corte cascão do atacante Ronaldo em 2002, peruca do ex- jogador da NBA Anderson Varejão e, mais recentemente, o moicano do Neymar.

Em 2002 o corte cascão utilizado por Ronaldo Fenômeno na conquista do pentacampeonato mundial pela Seleção Brasileira foi febre entre as crianças. Anos depois, era comum ver torcedores com a peruca de Anderson Varejão nas arquibancadas durante os jogos do Cleveland Cavaliers. No auge de Neymar no Santos, o moicano utilizado pelo atacante era copiado por crianças de todo o país.

Referência no mundo da barbearia, o brasileiro radicado em Orlando Diego Henrique dos Santos Souza, que atualmente atua como instrutor no The Ultimate Cave Academy e Flávia Leal Beauty School, falou sobre a importância do visual dos atletas como forma de trabalhar o marketing, ainda mais na era das redes sociais.

"Eu acredito muito nesse papel da aparência nas ativações dos atletas. Essas características na maioria das vezes é a identidade do atleta e isso, querendo ou não, contribui para a imagem de cada um", frisa o especialista, que atualmente é responsável por cuidar da aparência dos lutadores do UFC Ronaldo Jacaré e Alan Nuguette, e do jogador de basquete Leandrinho.

No MMA, podemos citar atualmente os cabelos cacheados e coloridos de Sean O'Malley. Caso o peso-galo corresponda às expectativas e seja campeão do UFC, pode ser que seu estilo seja copiado pelos mais entusiastas ou até mesmo que fãs passem a utilizar perucas referentes ao penteado em suas lutas. Isso gera um termômetro em relação à resposta do público, além de render dinheiro através de royalties.

Outro exemplo é o ex-lutador Ian McCall. Todo fã de MMA que acompanhou sua trajetória no UFC, entre 2012 e 2015, lembra do bigode "handlebar" (guidão, em tradução literal, devido às curvas nas pontas) do americano. Na época, ele revelou que chegou a pensar em tirar o bigode, mas uma empresa que produz pomadas modeladoras o contratou como garoto-propaganda, rendendo um bom contrato de publicidade.

"Foi-se o tempo de homens descuidados. Cada vez mais os homens vêm se preocupando com a aparência, e para os atletas, como já dito, é algo essencial, é um departamento à parte na gestão da carreira. Claro que isso chama a atenção das empresas estéticas, abrindo espaço para contratos publicitários. Não à toa, a Clear Main investe alto com Cristiano Ronaldo e Neymar", lembra Diego Henrique.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários