Ao LANCE!, Roberto Monteiro explica posicionamento contra empréstimo pré-SAF Vasco: 'Há vício no processo'
Felippe Rocha
Ao LANCE!, Roberto Monteiro explica posicionamento contra empréstimo pré-SAF Vasco: 'Há vício no processo'


A euforia da torcida do Vasco pelo acordo para a venda da SAF (Sociedade Anônima do Futebol) do clube para a 777 Partners foi contraposta nesta quarta-feira. O ex-presidente do Conselho Deliberativo do clube Roberto Monteiro notificou o Cruz-Maltino extrajudicialmente contra a realização de uma reunião na casa que comandou. Tal encontro, marcada para esta quinta-feira, debaterá um empréstimo junto à empresa americana que pode funcionar como um adiantamento. Monteiro é contra a forma como o processo está sendo conduzido, e explicou as razões dele ao LANCE! .

- Porque não tinha sentido uma reunião em 48h, sem urgência, por algo que, estatutariamente, não foi debatido. Empréstimo vinculado à venda? Primeiro tem que discutir a venda. Está bem claro na notificação. Estou avisando: há vício no processo. Não se pode gerar algo automaticamente para ser consolidado às pressas. Não tem sentido na urgência do Conselho Deliberativo - afirmou Roberto Monteiro, que emendou:

- Fizeram uma manobra no orçamento para ter a possibilidade do empréstimo, mas para pagar o quê? Quais dívidas? Não está claro. Um negócio desses, a toque de caixa, pode ferir mortalmente o clube - ressaltou.



O valor a ser cedido pela 777 Partners é de R$ 70 milhões , a ser utilizado para despesas emergenciais. É isso que o Deliberativo vai debater e votar. Em caso de aprovação, o depósito não vai demorar a ser feito. E caso, mais adiante, a Assembleia Geral Extraordinária (AGE) aprove a venda da SAF ao grupo estadunidense, tal valor será descontado do já acordado. Se a AGE reprovar, o montante emprestado vira dívida.

- Duas folhas (de pagamento do clube) são R$ 15 milhões, não R$ 70 milhões. Que volume é esse? Para quê? Isso não existe estatutariamente. Primeiro vamos discutir o modelo, alterar estatutariamente de forma pertinente para depois aprovar - ponderou o ex-presidente do Conselho Deliberativo.

-> Confira a tabela do Campeonato Carioca

Roberto Monteiro é um opositor da gestão de Jorge Salgado. Mas garante que a notificação feita na última quarta-feira foi motivada pensando no andamento do Cruz-Maltino.

- Não é ato político, é interesse do clube. Sou um ente político que estou me manifestando. Quero saber o que está acontecendo. Quer aprovar, em 48h, sem urgência do ponto de vista estatutário? Isso pode implicar em várias outras consequências além da notificação - reforçou ao L! .

A notificação de Roberto é contra a forma como o empréstimo e a possibilidade de venda vêm sendo conduzidas. Mas ele não se furta a opinar sobre a eventual venda do futebol do clube em si.

- Eu, Roberto Monteiro, sou contra. Mas quero saber as condições. Ninguém sabe o modelo. Sou contra. Como já vincula algo e começa aprovar sem saber o modelo? A conta não fecha. Pegar R$ 70 mihões para pagar o quê? Vamos entender - deseja.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários