Willian pede calma com Vítor Pereira no Corinthians, fala da 'febre' dos portugueses e revela 'pressão' da família por gol
Rafael Marson
Willian pede calma com Vítor Pereira no Corinthians, fala da 'febre' dos portugueses e revela 'pressão' da família por gol


Willian atendeu a imprensa na tarde de quarta-feira (23) no CT Joaquim Grava. Além de comentar sobre Vítor Pereira , novo treinador do Corinthians , e o desejo em retornar à Seleção Brasileira , o meia pediu calma com o português, falou sobre a 'febre' de estrangeiros no país e ainda revelou uma 'pressão' da família pelo primeiro gol.

> GALERIA: Veja todos os técnicos estrangeiros na história do Corinthians

Apesar do futebol brasileiro ter a fama de ser um 'triturador de técnicos', o camisa 10 pediu calma com Vítor Pereira, para que ele seja capaz de desenvolver suas ideias.

- No futebol, resultado é o que conta, principalmente no Brasil. Se você não tem resultado, começa a ser criticado. Sabemos que existe muita pressão no futebol brasileiro. A gente espera que ele possa ter esse tempo para trabalhar, implantar a metodologia dele no nosso time, e consequentemente conseguir os resultados. Sabemos que no Brasil muitas vezes isso não acontece, não tem essa paciência, essa espera. As vezes, em um, dois, três resultados negativos, já começa uma pressão para que o treinador saia. Esperamos que ele possa ser feliz aqui - afirmou.

Nos últimos anos, os clubes brasileiros passaram a apostar cada vez mais em estrangeiros, especialmente em treinadores de Portugal. Willian comentou sobre a "febre" de lusitanos no Brasil, e não poupou elogios a José Mourinho, seu técnico no Chelsea.

- Sei sobre o Mourinho, único técnico português que trabalhei. Fui muito feliz trabalhando com ele, em todas as minhas entrevistas sempre disse que ele foi o melhor treinador que tive até hoje. Não sei se todos são iguais, mas ele foi um cara que trabalhei e foi especial. Fui feliz, depositou total confiança no meu futebol, conseguiu elevar meu nível. Sobre os outros não sei pois não conheço. Mas se tiver o Vítor tiver um pouco da metodologia dele (Mourinho), vai ser bom para mim e o Corinthians - confessou.

Dos reforços badalados contratados pela diretoria alvinegra desde o segundo semestre do ano passado, Willian era o único do "quinteto mágico" a não ter balançado as redes. Mas contra o São Bernardo, ele fez seu primeiro gol.

- Emocionante, poder fazer um gol novamente na minha volta com a camisa do Corinthians, clube que me projetou para o futebol, que tenho carinho. Sempre fui corintiano, mesmo antes de pisar no clube, com 9 anos de idade. Poder marcar no lugar aonde eu treinava, onde tinha o CT de Itaquera, foi um dia especial para mim - revelou.

> TABELA: Confira e simule os jogo do Corinthians no Paulistão

E não era só a Fiel que estava ansiosa para ver Willian deixar sua contribuição. O camisa 10 revelou uma 'pressão' da família para ele marcar. Ele ainda disse que contra o Bernô, Fábio Santos pediu para ele cobrar a penalidade.

- A cobrança em casa, da minha esposa e minhas filhas, para fazer gol, são maiores que a da Fiel (risos). Sempre fiquei tranquilo quanto a isso. O gol é importante, e todo mundo quer fazer. Eu busco sempre o desempenho individual e coletivo. O principal é o coletivo, e depois a individualidade aparece naturalmente. As vezes, prefiro servir o companheiro, vou ficar feliz também, ele estar fazendo o gol. Contra o São Bernardo, quando saiu o pênalti, o Fábio Santos já falou que queria dar a bola para que eu batesse o pênalti, a torcida também gritou para que eu pudesse bater. Era o momento que eu esperava, de estar fazendo esse gol. Saiu na hora certa e espero que venham mais.

> GALERIA: Veja quantos estrangeiros trabalham em clubes do Brasil

O atleta por fim deixou claro que não pretende mudar seu estilo de jogo e não se mostrou incomodado com o excessivo número de faltas que vem sofrendo nas últimas partidas.

- Pode ser normal. É uma forma de tentar brecar uma jogada, paralisar a jogada. É bom para nós. Quanto mais falta sofrer, corre o risco do adversário tomar cartão, ser expulso, ou ter faltas para a gente bater, pênaltis também. Uma coisa que eu não vou parar de fazer é ir para cima, tentar o drible, a jogada. Isso vou continuar fazendo.

Tendo participado apenas da metade do segundo tempo no empate contra o Botafogo-SP, Willian vem treinando normalmente e deve ser titular no duelo contra o Red Bull Bragantino, no domingo (27), às 11h, na Neo Química Arena, pelo Paulistão .

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários