Fluminense volta a ter um pênalti defendido depois de 336 dias
Luiza Sá
Fluminense volta a ter um pênalti defendido depois de 336 dias


É difícil resumir a vitória do Fluminense no jogo de ida da segunda fase da Libertadores em apenas um fator. O 2 a 1 sobre o Millonarios , de virada, no El Campín, em Bogotá (COL), passou por diversos momentos de altos e baixos, mas um dos motivos para a virada ser concretizada certamente está ligada ao sistema defensivo. Seja pelo gol de David Braz que desafogou o time e deixou tudo igual ainda no primeiro tempo ou pela defesa de Fábio em um pênalti que mudaria os rumos logo na volta do intervalo.

O momento de Fábio, inclusive, vinha sendo extremamente cobrado pela torcida ao longo do último ano. Foram 336 dias até que um pênalti fosse defendido novamente no Fluminense. E oportunidade não faltou, já que a equipe cometeu 19 faltas dentro da área na temporada passada, um recorde no século. O último defendido havia sido em 23 de março de 2021, quando Marcos Felipe salvou na vitória sobre o Boavista. Depois disso, 18 chutes e 18 bolas na rede.



A contestada chegada do goleiro por conta dos 41 anos acabou se mostrando positiva no primeiro grande teste da temporada. E Fábio fez jus à fama de pegador de pênaltis, um dos motivos determinantes para a transferência. Nos últimos 10 anos, defendeu 23 dos 101 pênaltis contra ele, além de 11 chutes na trave ou para fora. Se Marcos Felipe vendeu caro a titularidade depois do clássico com o Flamengo, o veterano fez valer a confiança da comissão técnica.

- O pessoal sabe que eu não sou de individualizar muito, se tivesse que individualizar hoje seria o Martinelli, que entrou muitíssimo bem. Nós no Fluminense, como em todo clube, temos o treinador de goleiro. O Fábio foi contratado pelo excelente goleiro que é e não só por ser um grande pegador de pênalti. Defendeu um pênalti em um momento crucial, mas quem vai decidir quem joga ou não, todo jogo, é o André (Carvalho), que é o treinador de goleiros. Se eu amanhã achar que um goleiro que está jogando não está respondendo aquilo que eu espero, aí eu peço para trocar. Mas até agora acho que ambos estão até agora em um momento muitíssimo bom - disse Abel.

DAVID BRAZ É DECISIVO

Mas a vitória não passou somente pelas mãos de Fábio e começou a ser construída dos pés de David Braz, eleito o melhor em campo pela Conmebol. Este foi o terceiro gol do zagueiro com a camisa do Fluminense e todos eles acabaram sendo decisivos. Em 2021, o jogador marcou o gol da vitória sobre o Sport já nos minutos finais e abriu a contagem no 3 a 0 sobre a Chapecoense na última rodada, que garantiu a vaga na Libertadores.

Quarta opção da zaga até o início de outubro, David Braz precisou de pouco tempo para cair nas graças de Marcão, treinador naquele momento, e da torcida. Atualmente, ele faz sucesso nas redes sociais e mostra uma identificação cada vez maior com os tricolores. Em campo, a entrega e o bom posicionamento ajudam a garantir bons resultados.

Em 2021, David Braz atuou em 19 partidas, sendo 16 como titular, e marcou dois gols, somando 1741 minutos. Em 2022 já são cinco partidas, iniciando todas elas. O zagueiro vinha fazendo um trabalho intenso para estar disponível depois de levar uma pancada no clássico com o Botafogo. Após duas rodadas fora, retornou em alto nível para ajudar o Tricolor.

- Estou há dois jogos sem atuar. Me preparei bastante, às vezes perdemos o ritmo, mas me preparei ao máximo para ajudar o Fluminense nessa vitória. Naquele momento tive dificuldade na respiração e um pouquinho de cãibra na panturrilha. Vi que eles estavam fazendo a última substituição, pedi para esperar, mas fiz um alongamento para ver e consegui superar e terminar a partida. Agradeci muito a Deus, uma das coisas que eu mais peço quando entro em campo é poder terminar a partida. Todos nós queremos finalizar bem, sem lesão. Muito feliz pelo gol. É uma bola que todos os jogadores querem, brincamos que é uma promoção. O Luiz tentou a finalização e sobrou para mim - disse após a partida .

Agora, o Fluminense leva uma vantagem boa para o confronto de volta, mas não confortável como poderia ter sido. Vale lembrar que não há mais o gol qualificado (marcado fora de casa) como critério de desempate na Libertadores. O confronto acontece na próxima terça-feira, às 21h30 (de Brasília), em São Januário. Antes disso, porém, o Tricolor tem importante clássico com o Vasco pelo Campeonato Carioca, no sábado, às 17h.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários