Após fase de grupos perfeita, Ajax chega ao mata-mata da Champions tentando surpreender ainda mais
João Marcos Santana*
Após fase de grupos perfeita, Ajax chega ao mata-mata da Champions tentando surpreender ainda mais


Seis jogos, seis vitórias. Esta foi a campanha do Ajax na fase de grupos da Champions League , a segunda melhor da primeira metade do torneio, atrás apenas do Bayern de Munique somente no saldo de gols. E é baseado no retrospecto do time holandês que os comandados de Erik ten Hag chegam ao mata-mata querendo provar que estão prontos para conquistar a Europa.


Com um futebol ofensivo e encantador, o clube onde Johan Cruyff foi ídolo encara o Benfica nesta quarta-feira, pelo jogo de ida das oitavas de final da Champions, fora de casa. Considerado o amplo favorito para o confronto, o time holandês, entretanto, espera dificuldades, segundo o treinador.

- No jogo fora queremos um bom resultado. Quem é o favorito não interessa muito. O Benfica é um adversário forte, aproveita-se bem dos nossos erros. Na competição deles têm de assumir o jogo. Vamos ter de jogar na nossa filosofia - disse Ten Hag.

+ Veja a tabela e os jogos da Champions League

Mas qual o motivo que torna o Ajax o favorito? Além das seis vitórias, que por si só já mostram que esta equipe tem algo de especial, a longevidade do trabalho é também um fato a ser destacado. Há mais de quatro anos no comando dos Godenzonen, Erik ten Hag é visto hoje como um dos grandes treinadores do continente europeu.

Aos 52 anos, o ex-jogador que atuava como zagueiro mostra cada vez mais que o estilo defensivo em sua carreira restringia-se somente ao tempo em que estava dentro de campo. À beira do gramado, o holandês exige movimentação, troca de posição e velocidade de seus atletas.

Erik Ten Hag - Treinador Ajax

Erik ten Hag chegou ao comando do Ajax no fim de 2017 (Foto: AFP)

+ Em busca da Chuteira de Ouro! Veja os principais artilheiros da Europa na temporada

TRIO DE ATAQUE PODEROSO

​O grande destaque do Ajax dentro de campo fica para o trio de ataque, composto pelo brasileiro Antony, além de marfinense Sébastien Haller e do sérvio Dusan Tadic. Juntos, os três marcaram 13 dos 20 gols da equipe holandesa na fase de grupos.

A principal estrela, sem dúvidas, é Haller. Dos 13 gols que o trio marcou, o camisa 22 anos é responsável, sozinho, por dez bolas nas redes. Tais números fazem do jogador africano o artilheiro do torneio, à frente de nomes como Robert Lewandowski, Mohamed Salah e Cristiano Ronaldo.

* Estagiário, sob a supervisão de Cayo Pereira.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários