Título no Rio Open valeria mais que um Masters, diz Soares
TÊNIS NEWS
Título no Rio Open valeria mais que um Masters, diz Soares


Bruno Soares comemorou sua vaga inédita na final do Rio Open, maior torneio da América do Sul, neste sábado, após superarem a dupla do espanhol Marcel Granollers e do argentino Horacio Zeballos por 6/3 6/2.

Esta é a primeira vez do mineiro na final em casa após cinco quedas anteriores na semifinal: "Nunca joguei bem tênis aqui na verdade, ia na emoção ali, na experiência , usando a torcida, no embalo. Sempre falei isso. As condições com as outras bolas que voavam muito atrapalhavam , minha devolução tá mostrando ao longo da semana que é outra coisa, meu jogo é muito em cima com o que consigo fazer com a devolução , não sou um grande sacador, eventualmente vou acabar perdendo o saque então preciso dessa força na devolução. Essa foi a grande diferença", disse o brasileiro. A bola antiga era da HEAD e este ano passou a ser Wilson.

"O lance das semis, obviamente você dá uma pensada, mas quando entra em quadra não pesa não, estivemos hoje super firmes. É muito mais a sensação , sempre joguei com o felling e estou assim desde o primeiro dia. É clara a diferença dos outros anos para cá, super contente com as condições, super contente com a final. É um jogo para alcançar o objetivo agora".

Para Bruno, vencer no Rio de Janeiro teria um valor especial, acima de torneios com maior pontuação como os Masters 1000: "Em termos de emoção é muito especial estar em uma final aqui , o que vivemos nos três jogos - hoje meus amigos estavam um pouco mais animados que nos outros dias - é por esses momentos que ainda jogo esse esporte, essa sensação é muito boa. Infelizmente só tenho essa sensação uma vez por ano, gostaria que tivesse mais torneios no Brasil", apontou: "É muito especial. Pra te falar a verdade seria um dos maiores títulos da minha carreira, ganhar o Rio Open com essa galera na torcida. Não comparo com um Grand Slam, mas seria maior que vencer um Masters 1000, se me perguntasse se preferia ganhar Indian Wells ou o Rio Open, preferia vencer aqui, nenhuma dúvida na minha cabeça".

Os adversários ainda serão definidos do confronto entre os italianos Simone Bolelli e Fabio Fognini e do mexicano Santiago Gonzalez com o argentino Andres Molteni: "Os adversários...é meio clichê isso, mas é verdade, quem está na final é porque está fazendo coisas boas na semana. Bolelli e Fognini já deram duas na gente esse ano , se for eles vamos tentar pegá-los dessa vez. Foram dois jogos de três sets, no detalhe. E o Molteni e Santiago venceram dez jogos na América do Sul já , estão super confiantes, pegaram chave bem duro, estão mostrando nível. Nós estamos fazendo muito bem as coisas, é focar no nosso jogo, nossas coisas."

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários