Maratona Feminina de Nagoya terá premiação recorde de R$ 1,3 milhão
Iúri Totti
Maratona Feminina de Nagoya terá premiação recorde de R$ 1,3 milhão


A Maratona Feminina de Nagoya anunciou, nesta quarta-feira (16), os nomes das principais corredoras que vão participar da 11ª edição, no dia 13 de março. A queniana Ruth Chepngetich é uma das novidades da prova, assim como a israelense Lonah Chemtai Salpeter. A entrada de atletas estrangeiras no Japão está atualmente em ajuste final e acontece depois que a corrida do ano passado contou somente com corredoras japoneses por conta da pandemia da Covid-19.

A maratona também contará com importantes atletas japonesas, como Yuka Ando, ​​que disputou os 10.000m feminino nas Olimpíadas de Tóquio 2020 e da maratona feminina no Campeonato Mundial de Atletismo, em Londres, em 2017, além de ser duas vezes vice-campeã do Maratona Feminina de Nagoya, em 2017 e 2020. Mirai Waku, representante japonesa do Campeonato Mundial de Meia Maratona de 2016, em Cardiff, é outra confirmada.

As participantes de 2022 competirão pelo maior primeiro prêmio do mundo em maratonas: US$ 250 mil (aproximadamente R$ 1,3 milhão). Este será um ano histórico não só para a maratona feminina, mas também para a maratona como um todo, por entregar o maior prêmio a uma atleta feminina. Isso mostra o quanto o esporte progrediu desde a década de 1960. Até então, as mulheres eram proibidas de participar de corridas de longa distâncias ao redor do mundo. Outra referência para o empoderamento feminino foram as Olimpíadas de Los Angeles, em 1984, quando a maratona feminina fez sua estreia no programa olímpico.

“Estamos muito satisfeitos em receber essas atletas excepcionais na maratona deste ano. Embora seja emocionante ver como a competição se desenrola, estamos comprometidos em apoiar todas as corredoras e seus desafios. O Japão foi atingido pela disseminação da variante ômicron do coronavírus, mas nossa primeira prioridade é sempre a segurança de nossas corredoras, voluntários e todos os envolvidos no evento”, diz Koji Kitano, diretor da Maratona Feminina de Nagoya.

“Aproveitando a experiência de ter realizado corridas presenciais com segurança sob a pandemia nos últimos dois anos, estamos nos preparando para realizar a corrida deste ano trabalhando em estreita colaboração com as autoridades locais e especialistas médicos e tomando todas as medidas possíveis contra a infecção”, completa Kitano.

Leia Também

As principais atletas da elite: Ruth Chepngetich (Quênia): 2h17m08s (melhor marca pessoal); Lonah Chemtai Salpeter (Israel): 2h17m:45s; Yuka Ando (Japão): 2h21m36s; Sinead Diver (Austrália): 2h24m11s; Rie Kawauchi (Japão): 2h25m35s; Hanae Tanaka (Japão): 2h26m19s; Mirai Waku (Japão): 2h26m30s;
e Ai Hosoda (Japão): 2h26m34s.

A Maratona Feminina de Nagoya é a maior maratona feminina do mundo certificada pelo Guinness World Records, realizada anualmente em março na cidade de Nagoya, no Japão. Foi lançada em 11 de março de 2012, com 13.114 participantes. A prova é conhecida por ser qualificatória para competições internacionais, de onde saíram duas medalhistas de ouro olímpicas: Naoko Takahashi e Mizuki Noguchi. Com status World Athletics Platinum Label, a maratona tem 22 mil participantes. Por desempenhar um papel significativo no aumento da população de mulheres corredoras no Japão, a corrida recebeu o Diploma de Realização Esportiva e Feminina do Comitê Olímpico Internacional em 2019, depois de receber o Prêmio Mulheres e Esportes do Comitê Olímpico do Japão em 2017. (Iúri Totti - Corrida Informa)

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários