ANÁLISE: Mudança de postura no segundo tempo foi o diferencial do Corinthians contra o São Bernardo
Rafael Marson
ANÁLISE: Mudança de postura no segundo tempo foi o diferencial do Corinthians contra o São Bernardo


O Corinthians conseguiu sua terceira vitória consecutiva no Paulistão após derrotar o São Bernardo por 3 a 0 . Embora tenha dominado o primeiro tempo, o Timão deu apenas um chute ao gol e deixou a desejar. Já na etapa final, a equipe voltou mais dinâmica e ligada, e deu um verdadeiro show na Neo Química Arena.

> GALERIA - Róger Guedes e Willian se destacam na vitória do Timão; veja notas

Fernando Lázaro optou por manter o 4-1-4-1 de Sylvinho, com Du Queiroz formando a primeira linha e sendo responsável pela sustentação defensiva. Em alguns momentos, Renato Augusto recuava e ajudava na saída de bola.

Com Róger Guedes atuando de falso nove , Paulinho novamente teve muita liberdade para infiltrar na área. O camisa 15 quase marcou de cabeça no primeiro tempo, após cruzamento de Du.

Pelos lados, Willian ficou enfiado na ponta-esquerda, abusando de sua qualidade no um contra um para criar espaços, sofrer faltas e forçar cartões. Do outro lado, Giuliano atuava como um meia pela direita, caindo bastante para o centro e dando o corredor para Fagner.

O primeiro tempo foi de controle da posse de bola do Timão, mas a equipe não foi capaz de traduzir o domínio em finalizações. O Alvinegro terminou a etapa com apenas um chute no alvo.

E muito de ineficácia dos mandantes se deu pelo postura e comprometimento tático do São Bernardo. O Bernô marcava de forma muito compacta no seu campo defensivo, sempre pressionando o portador da bola, negando espaços ao Time do Povo.

> TABELA - Confira e simule os jogos do Timão no Campeonato Paulista

Na segunda etapa, especialmente nos 15 minutos inicias, o São Bernardo saiu mais para o ataque. Isso possibilitou que o Corinthians tivesse mais espaço para trabalhar as jogadas.

Ainda, ao contrário do que vinha acontecendo nos últimos jogos, o Timão voltou mais ligado e agressivo, pressionando com maior intensidade no campo do adversário. A mobilidade da equipe, especialmente dos meias, foi o que possibilitou a fluidez ofensiva do Alvinegro na etapa final da partida.

No primeiro gol de Róger Guedes, Giuliano deu um passe genial para o camisa 9, que atuava de maneira mais solta no ataque em relação ao primeiro tempo, buscando associações com os companheiros. Assim, soube aproveitar o espaço e mostrou calma e frieza na conclusão por cobertura.

Já no segundo tento, foi possível notar Renato Augusto conduzindo a bola pelo campo ofensivo e servindo seu companheiro, algo corriqueiro na temporada, mas que não vinha acontecendo contra o Bernô, pois o camisa 8 ajudava até que demais na saída de bola.

O lance do pênalti é indiscutível, mas vale ressaltar dois pontos. A insistência do Timão em seguir atacando, mesmo com boa vantagem na partida, e a liderança de Fábio Santos, ao deixar Willian cobrar a penalidade e marcar seu primeiro gol no retorno ao clube .

Mesmo com o resultado garantido, o Alvinegro não tirou o pé do acelerador e buscava ampliar a vantagem, já que o São Bernardo quase não oferecia perigo para Cássio. Com as alterações na reta final do segundo tempo, Lázaro soube ler o jogo e mostrou mais uma vez um Corinthians protagonista e batalhador.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários