Fabio Wajngarten se equivoca sobre a Lei do Mandante em Mundial na Band e leva invertida de Rodrigo Capelo
Lance!
Fabio Wajngarten se equivoca sobre a Lei do Mandante em Mundial na Band e leva invertida de Rodrigo Capelo


O secretário-executivo do Ministério das Comunicações e ex-chefe da Secretaria Especial de Comunicação Social do Governo Federal do Brasil, Fabio Wajngarten, fez uma postagem nas redes sociais para comemorar a audiência recorde da Band com a transmissão da final do Mundial de Clubes , neste sábado, entre Chelsea e Palmeiras, mas acabou usando uma informação equivocada.

Segundo o membro do governo a compra de direitos por parte da Band se deu por meio da Lei do Mandante, que possibilita que o mandante do jogo venda a transmissão para o grupo que preferir. Esse caso não se enquadra no Mundial já que a compra da competição completa é feita diretamente com a Fifa e não com o mandante dos jogos - que na final foi o Chelsea.

Fabio Wajngarten agradeceu o presidente Jair Bolsonaro por viabilizar a Lei do Mandante. No caso o presidente foi responsável por sancionar a lei após tramitação no Congresso Nacional.

- Palmeiras x Chelsea na @BandTV :25 pontos de audiência nesse momento em SP,16 em BSB. A segunda emissora tem 7. O Futebol é o maior ativo do Brasil. Parabéns para o Presidente @jairbolsonaro que viabilizou a Lei do Mandante democratizando e modernizando a maior paixão do Brasil.

O jornalista da Globo Rodrigo Capelo, especializado em finanças no esporte, desmentiu o membro do governo e explicou que a Lei do Mandante não se enquadra nesse caso. Capelo questionou ainda se o secretário estaria propagando desinformação de caso pensado.

- Quem vende direitos de transmissão do Mundial de Clubes é a Fifa – não os clubes, que recebem parte da grana via premiações. A Lei do Mandante não mudou nada ali. A dúvida que fica é comum hoje em dia: será só ignorância ou também má fé? E olha que este aí diz entender de mídia.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários