Matthew Stafford: dos dias de luta no Detroit Lions às glórias no Los Angeles Rams
Lance!
Matthew Stafford: dos dias de luta no Detroit Lions às glórias no Los Angeles Rams


A jornada de Matthew Stafford é diferente de muitos quarterbacks na NFL. O jogador nunca conseguiu o sucesso esperado no Detroit Lions, equipe que foi draftado em 2009 e atuou até a temporada anterior. Foi, através de uma troca para o Los Angeles Rams, que Stafford aliou seus bons números individuais aos resultados coletivos da equipe, culminando em muitas novidades na sua carreira – como a primeira vitória em playoffs, o troféu da Conferência NFC e a chegada ao Super Bowl. O título máximo da NFL é o próximo degrau para ele subir?

Para tanto, Stafford conduz o Los Angels Rams no duelo contra o Cincinnati Bengals, pelo Super Bowl LVI, neste domingo (13), a partir das 20h30, no SoFi Stadium, em Inglewood, na Califórnia.

Em 2009, Matthew Stafford, estrela do futebol americano pela universidade de Georgia, foi selecionado na posição número 1 do Draft pelo Detroit Lions, franquia com histórico nada animador na história da NFL. A seleção era a esperança de que dias melhores viriam pelas bandas de Michigan. Porém, em onze anos conduzindo o ataque dos Lions, Stafford acumulou boas estatísticas individuais, mas pouco sucesso coletivo.

O camisa 9 conduziu os Lions aos playoffs somente em três oportunidades e em todas elas foi eliminado da pós-temporada na primeira partida. Foi, somente nesta temporada, que o quarterback conheceu o sabor de triunfar nos playoffs, quando o Los Angeles Rams derrotou o Arizona Cardinals no Wild Card Round.

Nos Lions, vez ou outra, Stafford até teve bons companheiros no time. Ele chegou à franquia do Michigan com Calvin Johnson como seu wide receiver. Ele ainda conviveu com nomes da estirpe de Reggie Bush, Ndamukong Suh, Quandre Diggs e Darius Slay. Porém, os bons talentos individuais rãs vezes conseguiram jogar como um time só, e levar os Lions à terra prometida... ou até mesmo a boas campanhas na NFL.

O sopro de esperança para a revitalização da carreira de Stafford, quando alguns já até começavam a questionar a aura de excelente quarterback dada ao jogador, aconteceu na inter-temporada passada. O camisa 9 foi trocado para o Los Angeles Rams, que é comandado por Sean McVay, considerado um gênio ofensivo. Os Rams enviaram duas escolhas de primeira rodada, uma escolha de terceira rodada e o quarterback Jared Goff para receberem o talento de Matthew Stafford.

E a escolha não poderia ter sido recompensada de melhor forma. Por mais que Stafford tenha tido atuações ruins em determinados momentos da temporada, o QB cresceu nos momentos decisivos e mostrou o poder do seu braço durante cada snap. Ele somou 4886 jardas passadas e 41 touchdowns – melhor marca na carreira - em 17 partidas. Pelo lado negativo, foram 17 interceptações – a terceira pior marca de sua carreira. A conexão Stafford-Kupp foi praticamente imparável e todo momento que os Rams precisavam de uma jogada os olhos do QB miravam o seu mais prolífico recebedor.

Vivendo um sonho perfeito na terra das estrelas, Stafford agora sonha com a vitória no Super Bowl para coroar um ano de mudanças que foi quase perfeito.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários