Tite lida com um impasse em torno de Coutinho ao projetar o confronto do Brasil com o Paraguai
Vinícius Faustini
Tite lida com um impasse em torno de Coutinho ao projetar o confronto do Brasil com o Paraguai


A saída de Coutinho logo aos 32 minutos do primeiro tempo sintetizou a frustração do que Tite projetava para o duelo da Seleção Brasileira com o Equador. Além do treinador ter pouco a aproveitar das observações que pretendia fazer, o atribulado empate em 1 a 1 ocorrido na última quinta-feira (27) abriu uma incógnita em um dos setores da equipe na próxima partida canarinha nas Eliminatórias da Copa do Mundo.

Coutinho voltava a iniciar um jogo com a amarelinha após 471 dias e iniciou a jogada que culminou no gol de Casemiro. O meia alternava altos e baixos e se empenhava ao tentar municiar o trio de frente formado por Raphinha, Matheus Cunha e Vinicius Junior. Porém, o camisa 11 acabou escolhido para sair e dar lugar a Daniel Alves, em mudança que Tite chamou de "reajuste de organização". A partida posteriormente se diluiu em um teste de nervos para os brasileiros diante de tantas interrupções e confusões.

A mudança, "por questões físicas e táticas" , trouxe um nó para Tite desatar até o confronto com o Paraguai. Lucas Paquetá, que está em alta na Seleção, voltará a ficar à disposição após ter cumprido suspensão automática diante de "La Tri".

O técnico da Seleção Brasileira afirmou que pediu desculpas a Coutinho pela decisão que tomou.

- Em relação ao Coutinho, há um lado técnico e há um lado humano. Ela não dissocia isso. Pedi desculpa a ele. Ele poderia jogar 90 minutos, e estava programado para jogar 70 minutos - disse.

Tite admitiu que pretende fazer novas mudanças no Brasil diante do Paraguai, com o intuito manter suas observações em torno da preparação para o Mundial do Qatar. Resta saber como o treinador contornará entre o desejo de dar chance a Coutinho, jogador no qual deposita fichas, e dar espaço para o bom momento de Paquetá.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários