Entre Disney e Mundial pelo Palmeiras, Endrick sabe o tamanho da montanha antes do profissional
Alexandre Guariglia
Entre Disney e Mundial pelo Palmeiras, Endrick sabe o tamanho da montanha antes do profissional


O Palmeiras tem em Endrick, talvez, aquele que pode ser a maior revelação do futebol brasileiro desde Neymar. Isso, evidentemente, causa um furor em torno de tudo o que ele faz. Não é à toa que com apenas alguns jogos na Copinha, ele já foi cogitado como um dos inscritos no Mundial de Clubes . Por outro lado, Abel Ferreira recomendou que ele fosse para a Disney, mas parece que ninguém, de fato, perguntou o que o jovem de 15 anos acha de tudo isso.

TABELA
> Veja classificação e simulador do Paulistão-2022 clicando aqui

> Conheça o aplicativo de resultados do LANCE!

GALERIA
> Confira a duração dos contratos dos jogadores do Palmeiras na Copinha

É inegável que o talento do garoto é acima do normal, não é comum que alguém com cinco anos a menos possa destoar tanto de seus companheiros e adversários. A qualidade está escancarada e a comparação com qualquer jovem de base atualmente é descabida. Simplesmente não há um sub-15, ou um sub-17, ou um sub-20 com esse nível atuando no futebol brasileiro.

Dessa forma, é compreensível a empolgação, mas não podemos nos cegar diante dos 15 anos de idade de Endrick. Por mais que ele seja precoce, acima da média e pareça ter um físico avantajado para quem nasceu em 2006, não é possível projetar uma situação dele em jogos profissionais. Ele nunca jogou e, aliás, durante a Copinha, jamais fez uma partida inteira. É diferente e ele sabe.

No início deste mês, durante a pré-temporada do elenco principal, Endrick e mais alguns colegas que disputavam a Copinha foram chamados para treinar com os comandados de Abel Ferreira. No mesmo dia, mais tarde, eles atuaram no jogo-treino contra o Pouso Alegre-MG, que terminou empatado em 2 a 2.

Endrick teve dois bons lances, em um deles quase fez um golaço. Ficou claro: ele é diferente. Mas segundo o LANCE! apurou com pessoas que assistiram ao amistoso de preparação, ficou claro também que a mudança da pegada da base para o profissional é diferente. E não tem como não ser, a idade pesa em vários aspectos, físico, psicológico e algumas vezes até técnico. Pode não parecer, mas ele ainda é um jogador e um ser humano em formação.

De forma acertada, Abel Ferreira descartou a presença da joia palmeirense no Mundial e além disso recomendou ao clube que desse uma passagem para a Disney, já que a idade do garoto pede mais isso do que a inscrição no torneio de Abu Dhabi. Mas entre essas especulações e recomendações, alguém chegou a perguntar como Endrick se sente entre os profissionais? O que pensa disso?

Na última quinta-feira, em sua primeira entrevista coletiva, o garoto respondeu a uma pergunta feita por este repórter que escreve este texto, que o questionava exatamente sobre o sentimento dele durante o jogo-treino. A resposta foi bastante consciente e realista sobre sua atual condição, com um pensamento a longo prazo e sabendo que a montanha a escalar é enorme.

- É muito diferente, eu com 15 anos, não esperava fazer jogos-treino, mas agradeço a comissão por acreditar no meu potencial, consegui fazer um jogo no profissional e é muito diferente da base, creio que tenho muito a aprender e, se Deus quiser, lá na frente vou estar definitivo no profissional e é só agradecer - disse Endrick, mais lúcido do que muito marmanjo.

Juntamente com seus companheiros campeões da Copinha, Endrick treinou com os profissionais na última quinta-feira pela manhã, algo que deve virar uma rotina, mas no caso dele, jogar mesmo somente na base, já que não pode entrar em campo enquanto não completar 16 anos, o que acontece em julho.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários