Ginasta que treinou em laje ganha bolsa de estudos e promessa de melhorias para a prática do esporte no Morro do Borel
Ricardo Guimarães
Ginasta que treinou em laje ganha bolsa de estudos e promessa de melhorias para a prática do esporte no Morro do Borel


Nos últimos dias, a jovem ginasta Ana Luísa, de 12 anos, virou motivo de inspiração ao treinar na laje de casa no Morro do Borel , Zona Norte do Rio de Janeiro, para manter o sonho de se tornar uma atleta profissional. O caso também escancarou a disparidade social causada pela ausência secular do poder público no incentivo de políticas em benefício das comunidades - o que inclui o esporte.

A visibilidade alcançada por Ana Luísa permitiu com que a menina conseguisse alcançar objetivos que nem ela mesmo buscava, como uma bolsa de estudos oferecida por um colégio da região.

Além disso, a jovem ginasta ouviu durante um encontro no Borel com o secretário municipal de Esportes do Rio de Janeiro, Guilherme Schleder, que a prefeitura planeja fazer uma melhoria na comunidade para possibilitar a prática esportiva. É o que contou a mãe da ginasta, Cristiane Batista Albino, em contato com o LANCE!.

- Ele (o secretário Guilherme Schleder) falou que vai construir um espaço, com os equipamentos aqui no campo dentro da comunidade, para a Ana treinar e para as outras crianças também. Ela também ganhou uma bolsa de estudo no colégio Miguel couto - disse Cristiane.

Além do benefício escolar, para seu desempenho como cidadã, e - pelo menos - a promessa do poder público de uma melhoria para a comunidade, Ana Luísa viu oportunidades no campo esportivo aparecerem também.

- Ela também ganhou o convite para treinar e usufruir das outras modalidades e da estrutura do Tijuca Tênis Clube - disse a mãe, citando o tradicional clube do bairro, que fica localizado a cerca de 15 minutos de ônibus da comunidade.

A menina também foi convidada para um teste no Flamengo, na próxima semana. Ela já havia tentado uma vaga no clube da Gávea, mas não foi aceita por causa da idade. Em seguida, ela ingressou no Fluminense e conquistou uma medalha de ouro na trave e outra de bronze no solo, mas precisou deixar o clube pelo mesmo motivo.

Atualmente, Ana Luiza treina com bolsa no Centro de Treinamento SEF, localizado em Vila Valqueire, um bairro que fica na Zona Norte do Rio, mas que é bem distante da Tijuca, o que faz com que a menina precise pegar seis ônibus, no total, para ir e voltar dos treinos.

Uma de suas inspirações, a campeã olímpica Rebeca Andrade mandou um recado para a menina a incentivando a continuar na busca dos seus sonhos.

- Estou passando aqui pra dizer que eu vi a sua história, que fiquei muito feliz em saber que você me admira, admira as meninas. Eu espero que você tenha muita ajuda para você conseguir atingir todos os seus objetivos e seus sonhos - disse a ginasta, ao 'RJ1', telejornal da Globo.

Pelo Instagram, Ana Luísa segue correndo atrás dos próprios sonhos e compartilha uma rotina de treinos e entrevistas para os seus 26,5 mil seguidores. Na conta, a mãe da criança compartilhou um link de uma vaquinha virtual para ajudar no desenvolvimento pessoal e profissional da atleta. Para acessar, clique aqui .

Até este sábado, 15, a vaquinha que teve meta estipulada em R$ 60 mil já alcançou R$ 9 mil.

- Com a vaquinha, queremos custear as passagens até o treino, comprar roupas de treino para Luísa (pois ela só tem um shorts e top que ganhou de uma amiga) e pagar inscrições de campeonatos, como: Torneio Estadual, Jogos Estudantis e Campeonato Brasileiro (que será em outro estado e precisarão de passagens e hospedagem) - explica a responsável pela criança.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários