Vigor físico, entrega e marcação: quem é Fabinho, reforço do Botafogo
Sergio Santana
Vigor físico, entrega e marcação: quem é Fabinho, reforço do Botafogo


O Botafogo entendia que a 'volância' era um dos setores carentes do elenco e foi atrás de um nome para suprir isto no mercado: Fabinho, de 35 anos, foi anunciado como reforço do Alvinegro na última quinta-feira. O meio-campista trabalhou com Enderson Moreira no Ceará, clube que defendia desde 2019.

+ Bandeira do Botafogo, fotos com torcedores e 20 reais: a chegada de John Textor ao Rio de Janeiro

Apesar da idade avançada, o vigor físico é o ponto 'fora da curva' de Fabinho, marcado por ser um volante voluntarioso, que ocupa espaços no campo e corre bastante. Ele é um primeiro volante que tem, consequentemente, a marcação como princípio alto. Lucas Mota, setorista do Ceará no "O Povo", explica ao LANCE! .

– Foi um jogador que teve uma passagem bem positiva pelo Ceará. É aquele jogador de bastante esforço, que se entrega muito, corre para caramba. Mesmo com a idade avançada, até a última temporada dele no Ceará era um cara que corria o jogo inteiro. Tem uma forte marcação e, por essa saúde e condicionamento físico, ele era o primeiro volante com o Tiago Nunes na reta final da Série A e não chegava muito ao ataque. Em boa parte da passagem, principalmente com o Guto (Ferreira), os volantes mesclavam no ataque e ele era um cara que chegava como elemento surpresa, principalmente pelo lado direito - analisou.

O passe curto e os lançamentos longos são o ponto baixo de Fabinho, que por vezes tenta se aventurar ao ataque e aparecer como um elemento surpresa na área. O meio-campista não tem elementos como a saída de bola em destaque, por exemplo.

– Tem um condicionamento físico muito bom, se entrega demais dentro de campo e o jogo dele prioriza muito a marcação forte. Às vezes ele se aventura no ataque, ele não chega a ser o volante "brucutu", que fica apenas para parar a jogada. Não chega a ser o volante moderno, que pode jogar como meia de criação, mas não é o brucutu - completou.

+ John Textor vai dar R$ 50 mi ao Botafogo após aprovação da compra e tem meta de bom time no Brasileiro

Fabinho teve 50 ou mais jogos nas duas primeiras temporadas com a camisa do Vozão, sendo peça fundamental para a equipe nessa época. Em 2021, ele conseguiu recuperar espaço com Tiago Nunes na reta final do Brasileirão, mas não manteve os mesmos números de outrora.

– Em todos os anos no Ceará ele terminou a temporada como titular. Ele nunca era cotado no time quando começava o ano, mas pelo serviço prestado ele sempre terminava como titular. A melhor temporada dele foi a de 2020, jogou muita bola. Em 2021, por exemplo, o Ceará contratou volantes, ele chega a perder espaço mas termina o ano como titular - finalizou o jornalista.

No último Campeonato Brasileiro, Fabinho teve médias de 1.6 interceptação, 1.8 desarme, 1.2 corte, 3.1 duelos no chão ganhos e 1.7 duelo aéreo ganho por partida. Por outro lado, o volante contribuiu com 78% de acerto nos passes. Os dados são do "SofaScore".

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários