Conheça as características do meio-campista Bruno Nazário, que está no radar do Vasco para a temporada
Felipe Melo
Conheça as características do meio-campista Bruno Nazário, que está no radar do Vasco para a temporada


O Vasco segue de olho no mercado e o nome de Bruno Nazário, ex-América-MG e Botafogo, está no radar do clube. O jogador, que pertence ao Hoffenhein (ALE), pode ser mais um a compor o elenco comandado por Zé Ricardo - por empréstimo. Para compreender como joga o meia-atacante, o LANCE! conversou com os jornalistas Paulo Azeredo, da rádio Inconfidência, e Duda Gonçalves, do Jornal "O Tempo" e rádio Super.

- Bruno é um meia com características mais de armação, de organização no meio-campo. O problema é que ele vive de altos e baixos. Em alguns jogos, vai muito bem, e em outros fica apagado. Ele chegou como titular do América-MG, mas foi perdendo espaço e passou a ser um reserva pouco utilizado. Começou bem, mas caiu muito de rendimento. - explicou Paulo Azeredo, e emendou:

+ As virtudes e as deficiências: como joga o lateral-direito Weverton, provável reforço do Vasco

- Ele tem muita qualidade, bate bem na bola, chuta bem de fora da área. Apesar dele conviver com esses apagões, acredito que possa ser um bom reforço para o Vasco. Ele não foi muito utilizado na reta final (do Brasileirão). ele entrou contra o Atlético-MG, mas não foi bem. Como não iria mais ser utilizado, a direção decidiu liberá-lo - disse.

Segundo Duda Gonçalves, o retorno de Bruno Nazário ao Coelho foi cercado de expectativa, mas o atleta sofreu com algumas passagens pelo departamento médico e testou positivo para Covid-19 em agosto. Esses fatores fizeram com que ele não pudesse ajudar o time mineiro de maneira mais efetiva. O meia esteve em campo em 22 jogos, com um gol e três assistências.

+ Vasco x Rio Claro: veja provável time do Gigante da Colina e onde assistir ao jogo da Copa São Paulo


- Após a saída de Lisca, Bruno acabou perdendo espaço. Principalmente, porque disputava a posição no meio-campo, jogando centralizado e construindo as jogadas do América, com Alê (com Lisca atuava mais pelas pontas). Dos 22 jogos pelo Coelho, entre Copa do Brasil, Série A e Campeonato Mineiro, foi titular só em 10 - analisou, e acrescentou:

- Outro fator que justifica o rendimento ruim do Bruno Nazário no América foram as idas ao DM. Ele chegou a ficar fora em duas oportunidades durante a Série A, devido a um incômodo na coxa esquerda, e uma indisposição. Neste momento, já era reserva - complementou:

+ Muitas lacunas? Confira quantas contratações faltam para o elenco do Vasco em 2022

- Bruno Nazário também foi infectado pela Covid-19 enquanto esteve no América. O jogador teve uma recuperação demorada, lenta. Caso de reinfecção. Cumpriu os 10 dias em isolamento, mas demorou a voltar. Depois que foi infectado (27 de agosto), só voltou a ser relacionado no fim de outubro. Isso fez com que Nazário pouco pudesse ajudar o time - explicou.

Mesmo com a irregularidade, a jornalista acredita que o meia possa ser um bom reforço e ajudar o Vasco na intensa disputa da Série B. Para a posição, o clube tem o experiente Nene, que deve ser o titular. Além dele, o time tem o argentino Martín Sarrafiore, os recém-contratados Vitinho e Isaque e os jovens Juninho, Laranjeira, MT, que podem exercer a função de meia.

+ Vasco confirma o destino de mais três jogadores; confira saídas, chegadas e sondagens para 2022

- Sua saída do América não deixará saudades ao torcedor. Mas não por sua falta de vontade em ajudar o time, algumas situações fugiram ao controle do atleta. Tem tudo para ajudar o Vasco, se estiver em sua melhor condição física, recuperado. É um bom reforço - e reserva - finalizou.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários