Faixa-preta analisa temporada como primeiro no ranking da Confederação Brasileira de Jiu-Jitsu
TATAME
Faixa-preta analisa temporada como primeiro no ranking da Confederação Brasileira de Jiu-Jitsu


Natural de Manaus, no Amazonas, terra de muitos craques do Jiu-Jitsu, o faixa-preta Sérgio Alves se mudou para São Paulo há quatro anos em busca de se profissionalizar ainda mais no esporte.

O faixa-preta conseguiu se destacar bastante competindo e atingiu o primeiro lugar no ranking peso-galo master 1 da Confederação Brasileira de Jiu-Jitsu (CBJJ). Mesmo em tempos difíceis, Sérgio Alves manteve o foco.

O manauara, que também é coach na Alliance – uma das principais equipes do mundo -, contou como contribuiu para o seu desenvolvimento como atleta poder ensinar e viver da arte suave.

- Quando decidi viver do Jiu-Jitsu me aprofundei em estudar os fundamentos básicos e hoje sou especialista em aulas para iniciantes. Quando você aprende bem o básico, não tem como não evoluir o seu nível técnico. A partir do momento que entendi isso, meu nível aumentou também - disse.

A expectativa de Sérgio Alves para 2022 é que as agendas da CBJJ e de outras federações já estejam normalizadas, o que aumenta o ritmo de preparação dos atletas desde agora.

- Todos os eventos hoje estão em alto nível, independente de federação. Não existe mais campeonato A ou B, o nível é igual. Sigo minha rotina de atleta e professor, dando 3/4 aulas por dia entre coletivas e particulares, então na maioria do tempo eu treino junto com meus alunos. Não dá para escolher uma preparação específica para um evento, mas pra mim um samurai tem que estar sempre pronto - encerrou o lutador.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários