Retrospectiva LANCE!: em ano de retorno à elite, Chapecoense termina 2021 de forma melancólica
Futebol Latino
Retrospectiva LANCE!: em ano de retorno à elite, Chapecoense termina 2021 de forma melancólica


Dando continuidade a série de conteúdos produzidos pelo Futebol Latino/LANCE! sobre a retrospectiva em desempenho por partes de diversos clubes do futebol nacional, a Chapecoense será a personagem desta terça-feira (28) no ano que começou com comemoração e terminou de maneira bastante decepcionante.

>Receba as principais notícias do esporte com o novo canal do LANCE!

Campanha consistente e volta merecida

Após se deparar com o primeiro rebaixamento de sua história e tendo de se ambientar a uma realidade financeira com menor poderio de investimento bem como as contas afetadas pela série de dívidas angariadas, especialmente, desde 2016, a Chape sabia que iria ter problemas para a montagem do plantel.

Porém, sob a batuta de uma trabalho organizado financeiramente e estruturalmente no estilo de jogo por parte de Umberto Louzer, a equipe se caracterizou por um sistema defensivo sólido (sofreu apenas 21 gols em 38 rodadas) que pavimentou o caminho de muitos triunfos por somente um gol de diferença. Assim, a equipe que tinha como destaques nomes como João Ricardo, Matheus Ribeiro, Luiz Otávio, Aylon e Anselmo Ramon terminou com o título da segundona, carimbando em grande estilo seu passaporte de retorno a elite do futebol nacional.

No estadual, derrota para um 'velho conhecido' na decisão

Diferente do que ocorreu na temporada anterior onde a equipe beirou a zona de rebaixamento do Catarinense antes de assegurar vaga no mata-mata, a campanha na primeira fase em 2021 praticamente não teve sobressaltos. Se classificando na liderança com 26 pontos mesmo já com a base da equipe bastante mexida, a Chape chegou forte na briga por sua oitava conquista estadual.

Contudo, na decisão, um velho algoz do Verdão do Oeste entrou em cena, o Avaí. Após a derrota na partida de ida por 2 a 1, em Florianópolis, o time não conseguiu se reabilitar na Arena Condá e ficou com o vice-campeonato.

Copa do Brasil e Brasileirão, um combo de decepções

Logo no primeiro confronto da milionária competição eliminatória, o embate com o ABC parecia bem encaminhado após a vitória na cidade de Chapecó por 3 a 1. Porém, o presságio de um segundo semestre doloroso se mostrou presente com a aparentemente improvável derrota por 3 a 0 e a precoce eliminação.

Já no Campeonato Brasileiro, a expectativa de almejar campanha que desse a chance da equipe catarinense ter novamente um calendário continental acabou se tornando inversamente proporcional no fraco desempenho apresentado.

Com somente um triunfo em 38 compromisso e a pior campanha na história da competição dentre as edições de pontos corridos, a Chape teve de se confirmar com um rebaixamento que, se moralmente foi encaminhado praticamente na metade do torneio, matematicamente foi sacramentado em outubro com o revés por 3 a 0 diante do Bahia. Jogo esse, por sinal, que valia ainda pela 28ª Rodada da Série A.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários