Tristeza, mas também resignação marcam torcida do Flamengo após derrota na final da Libertadores
Felippe Rocha
Tristeza, mas também resignação marcam torcida do Flamengo após derrota na final da Libertadores


Seria natural que a tristeza dominasse o ambiente da torcida do Flamengo após a derrota para o Palmeiras, neste sábado, na final da Copa Libertadores. E ela realmente existiu, mas não sozinha.

> Na prorrogação, Deyverson faz história, Palmeiras vence o Flamengo

O sentimento de lamentação pela falha que resultou no segundo gol alviverde, porém, se misturou a uma resignação. Se não houve aplausos, ao menos na Praça Varnhagen, na Tijuca, também não houve vaias.

Nem Renato Portaluppi, frequentemente criticado pelos torcedores, foi alvo em grandes proporções após o apito final. Houve choro, mas também orgulho.

Um grupo chegou a cantar o hino do clube poucos minutos após o apito final. Algumas pessoas acompanharam. Tanto não houve revolta ou grandes críticas onde se esperava festejos que o ambiente de dor, aos poucos, foi dando vez à consternação. E o clima dr como se fosse um sábado qualquer foi chegando.

- Sou Flamengo mesmo e é isso aí - disse um.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários