Reta final do Brasileirão coloca a resistência do Corinthians à prova
Rafael Franco
Reta final do Brasileirão coloca a resistência do Corinthians à prova


Na luta para assegurar uma vaga na fase de grupos da Copa Libertadores de 2022, o Corinthians ainda tem três partidas a disputar nesta reta final do Campeonato Brasileiro . E além das dificuldades que encontrará contra os adversários que enfrentará, o Alvinegro encara outro grande "rival" a superar neste término de temporada: o desgaste físico do seu elenco, fator que atrapalhou alguns dos seus principais jogadores em seus últimos confrontos.

Depois de perder o meia Giuliano e o volante Cantillo, que sofreram lesões musculares na coxa direita no jogo contra o Flamengo e em partida pela seleção colombiana, respectivamente, o Timão foi para o confronto diante do Ceará, na última quinta-feira à noite, no Castelão, sem Fábio Santos e Renato Augusto. Nomes certos do time titular, os dois não iniciaram o confronto por questões físicas, sendo que o lateral-esquerdo ficou apenas no banco e o meio-campista só foi utilizado pelo técnico Sylvinho no segundo tempo do duelo.

Depois da partida, que terminou com vitória da equipe cearense por 2 a 1, o treinador revelou que Renato Augusto não iniciou o jogo entre os titulares porque não havia conseguido se recuperar do desgaste físico acumulado após o clássico diante do Santos, no último domingo, na Neo Química Arena.

Fábio Santos, por sua vez, deu lugar a Lucas Piton na escalação da equipe em Fortaleza, onde o lateral-esquerdo de 36 anos ganhou um descanso para poder ficar novamente à disposição para o duelo contra o Athletico-PR, neste domingo, às 16h, em Itaquera, pela 36ª rodada da competição nacional.

O lateral-direito Fagner, outro veterano do elenco alvinegro, também deu sinais de esgotamento ao pedir para ser substituído durante a etapa final diante do Ceará. E pouco depois de o atleta de 32 anos deixar o campo, o seu substituto, João Pedro, estreou pelo time corintiano e falhou na marcação no lance que resultou no gol que garantiu a vitória da equipe da casa no Castelão.

- Fagner pediu para sair, o atleta olhou para o banco, fez um sinal de que estava absolutamente morto e pediu substituição - revelou Sylvinho na entrevista coletiva após a partida na capital cearense, onde também destacou que a grande sequência de partidas cobrou o seu preço a Renato Augusto.

- Renato vinha de 13 ou 14 jogos seguidos, sinalizou um cansaço grande pós-Santos, a recuperação não foi total. Não tinha condição de iniciar o jogo - disse o comandante ao justificar a ausência do meia de 33 anos entre os titulares.

Para o duelo diante do Athletico-PR, Sylvinho poderá contar com o retorno do volante Roni, que retornou no clássico contra o Santos após um longo período se recuperando de uma lesão. Porém, ele recebeu o terceiro amarelo no duelo e acabou cumprindo suspensão no confronto diante do Fortaleza.

WILLIAN PODERÁ SER NOVIDADE NA ESCALAÇÃO

Para formar a escalação para o jogo deste domingo, Sylvinho precisará mais uma vez levar em conta a condição física dos jogadores. O meia-atacante Willian, que entrou no decorrer do segundo tempo dos dois últimos confrontos após desfalcar a equipe por sete partidas por causa de uma lesão muscular na coxa esquerda, poderá ser a principal novidade na formação titular.

- Tem jogo a cada três ou quatro dias. Isso causa um desgaste grande nos atletas, de maneira que aqueles que se mostram bem recuperados e em condição temos colocado em campo - disse Sylvinho ao analisar a situação atual do seu elenco, que fará na manhã deste sábado, no CT Joaquim Grava, o último treinamento de preparação para a partida diante do Athletico-PR.

Após o duelo com a equipe paranaense, o Alvinegro voltará a campo no dia 5 de dezembro para enfrentar o Grêmio, novamente em Itaquera, antes de fechar campanha no Brasileirão no dia 9, contra o Juventude, em Caxias do Sul.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários