'Jogo perfeito', 'dia especial': Valentim e Thiago Heleno definem atuação do Athletico no título da Sul-Americana
Alexandre Guariglia
'Jogo perfeito', 'dia especial': Valentim e Thiago Heleno definem atuação do Athletico no título da Sul-Americana



A atuação do Athletico-PR na vitória por 1 a 0 sobre o Red Bull Bragantino não foi um espetáculo, mas saiu exatamente como comissão técnica e jogadores queriam para poder levar o título da Copa Sul-Americana, no último sábado, no Estádio Centenário, em Montevidéu, no Uruguai. Alberto Valentim e Thiago Heleno definiram o desempenho da time como "jogo perfeito" e "dia especial".

Segundo o Footstats, o Furacão teve apenas 40,83% da posse da partida, ou seja, o controle da bola ficou com a equipe de Bragança, que realmente dominou as ações do duelo, mas não com a mesma eficiência com que os paranaenses o fizeram. Os comandados de Valentim acertaram cinco chutes no gol, enquanto os comandados de Barbieri tiveram três finalizações certas.

Em outras palavras, tanto defensivamente quanto ofensivamente a estratégia rubro-negra funcionou. Mesmo diante do volume de ataque do adversário, a defesa capitaneada por Thiago Heleno teve ótima atuação e neutralizou o Massa Bruta durante praticamente todo o jogo. De acordo com o zagueiro, a defesa teve um dia especial e Nikão conseguiu decidir em uma "bolinha".

- Não foi um dia em que atacamos muito, mas na vez em que fomos, fomos eficazes e fizemos o gol. Defensivamente foi um dia especial, todo mundo estava se comportando bem. Tem jogo que a gente não vai conseguir atacar o tempo inteiro. Temos que entender isso dentro da partida, e quando isso é entendido, acaba não levando gol. (O Red Bull Bragantino) É um time muito difícil, que ataca muito bem, conseguimos suportar e, em uma bolinha ali do Nikão, fizemos o gol, o suficiente para conquistar esse título - explicou Heleno.

No segundo tempo da partida, o Athletico-PR teve cerca de 34% de posse bola, tamanho era o domínio do Bragantino sobre as ações do jogo. Mas isso de nada adiantou para o adversário, que não chegou finalizar no gol na etapa final. Foram seis chutes em direção à meta de Santos, que quase não trabalhou. Isso indica o sucesso da estratégia escolhida por Alberto Valentim.

- A gente conversou muito de detalhes, e detalhes numa decisão são muito importantes. O discurso nosso, da comissão técnica, depois os jogadores falando, aqueles minutos antes de entrar em campo. A fase defensiva, principalmente em um jogo único, é muito importante, e fomos muito bem nesse quesito - declarou o comandante do Furacão.

Mesmo com menos participação ofensiva na primeira etapa, o Athletico ainda conseguiu finalizar a gol, o que é mais do que o Bragantino que, como dito acima, pouco assustou a defesa do Bragantino. Ainda assim, Valentim levou em conta o forte calor e classificou a atuação de seu time como "perfeita" na final.

- Como o Thiago falou, hoje atacamos menos, até por causa do forte calor que encontramos aqui, um clima muito diferente do que vínhamos encontrando, tanto em Curitiba quanto em outras cidades. Fizemos um jogo perfeito, ou quase perfeito defensivamente, e somos campeões - finalizou o técnico.

Após comemorar mais um pouco por conta do título, o Athletico-PR vai voltar a dar atenção para o Campeonato Brasileiro. Nesta quarta-feira, dia 24, o Furacão enfrenta o São Paulo, às 21h30, no Morumbi, pela 34ª rodada da competição. No entanto, o foco mesmo estará na final da Copa do Brasil, em dezembro.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários