Sob vaias intensas, Vasco empata com o Remo em São Januário e segue sem vencer há mais de um mês
Felippe Rocha
Sob vaias intensas, Vasco empata com o Remo em São Januário e segue sem vencer há mais de um mês


Mais uma vez as vaias desde antes de o jogo começar. E que se intensificaram porque o Vasco saiu atrás. E não cessaram, embora tenham diminuído, após o apito final. Com o empate em 2 a 2 com o Remo, em São Januário, o time segue sem vencer há mais de um mês e se despede de casa na temporada de forma melancólica. A equipe paraense segue sob grande perigo de rebaixamento.

CHANCES DE AMBOS
O Remo começou melhor. Mais organizado, assustou o gol de Lucão por duas vezes nos primeiros minutos. O Vasco só conseguiu respirar aos 11 minutos, mas Cano não conseguiu finalizar após cruzamento de Nene. Dez minutos depois, novo passe de Nene para Cano. O centroavante cortou a marcação, mas errou na devolução do passe. Desperdício de um contra-ataque de quatro jogadores contra dois. Custaria caro.

REMO, VAIAS; DESCONTO, VAIAS
Custou caro porque aos 30 minutos, Erick Flores roubou a bola de Riquelme, que tramava a saída para o ataque. Victor Andrade foi lançado e cruzou rasteiro para Neto Pessoa escorar para o gol. E sete minutos depois, Lucas Siqueira chutou de fora, a bola desviou em Romulo e Lucão ficou sem ação. Remo 2 a 0 e vaias ampliadas em São Januário. O clima estava tão ruim na Colina que, aos 40, Léo Matos, de cabeça, diminuiu o prejuízo depois de um escanteio cobrado por Nene. As vaias foram intensificadas.

EXPULSÃO
O segundo tempo começou mais tenso do que bem jogado. Aos nove minutos, Morato deveria ter sido expulso por conta de um cascudo no adversário. A arbitragem ignorou. O time paraense chegou perto do gol de Lucão, mas falhou na hora de finalizar. As vaias da torcida vascaína eram incessantes. O Cruz-Maltino reclamou de mão na bola para um pênalti que não foi marcado, aos 22. No minuto seguinte, contudo, a esperança mandante apareceu quando Victor Andrade levou o segundo cartão amarelo por falta infantil.

EMPATE E MAIS VAIAS
E mesmo que de forma atabalhoada, o time da casa conseguiu igualar o placar. Léo Matos cruzou por baixo, a defesa afastou para a entrada da área e Galarza, aos 36 minutos, chutou forte para o empate. Com um jogador a mais, o time da casa pressionou. Nene recebeu passe de Cano, mas não conseguiu, com a direita, dar direção. Daniel Amorim teve uma chance pelo alto, mas não conseguiu dar direção. Já nos acréscimos, ele desviou e Caio Lopes, a 30 centímetros do gol, também errou a finalização. Não foi suficiente. A igualdade e as vaias persistiram.

FICHA TÉCNICA
VASCO 2 X 2 REMO


Estádio: São Januário, no Rio de Janeiro (RJ)
Data e hora: 19 de novembro de 2021, às 19h
Renda e público: 1.010 pagantes (1.024 presentes) / R$ 24.268,00
Árbitro: Rodrigo Batista Raposo (DF)
Assistentes: Lucas Costa Modesto (DF) e Lehi Sousa Silva (DF)
VAR: Emerson de Almeida Ferreira (MG)
Cartões amarelos: Léo Matos, Riquelme (VAS); Victor Andrade (REM)
Cartão vermelho: Victor Andrade

GOLS: Neto Pessoa (30'/1ºT 0-1), Lucas Siqueira (37'/1ºT 0-2), Léo Matos (40'/1ºT 1-2) e Galarza (36'/2ºT 2-2)

VASCO: Lucão, Léo Matos, Ricardo Graça, Leandro Castan e Riquelme (Daniel Amorim, 22'/2ºT); Romulo (Caio Lopes, Intervalo), Galarza e MT (Gabriel Pec, Intervalo); Morato (Sánchez, 14'/2ºT), Cano e Nene - Técnico: Fábio Cortez.

REMO: Vinícius, Thiago Ennes, Romércio, Kevem e Igor; Anderson Uchôa, Lucas Siqueira e Erick Flores (Rafinha, 16'/2ºT); Matheus Oliveira (Jefferson, 25'/2ºT), Neto Pessoa (Renan Gorne, 16'/2ºT, depois Lucas Tocantins 49'/2ºT) e Victor Andrade - Técnico: Eduardo Baptista.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários