Gol no fim coroa 'abraço da Nação' e afina sintonia entre arquibancada e time no 'até breve' do Flamengo
Matheus Dantas
Gol no fim coroa 'abraço da Nação' e afina sintonia entre arquibancada e time no 'até breve' do Flamengo


A presença dos quase 50 mil rubro-negros no Maracanã, nesta quarta-feira, foi um voto de confiança dado ao Flamengo , que correspondeu com uma atuação com aspectos positivos, especialmente se levarmos em conta que era uma equipe praticamente reserva. O gol de Bruno Henrique , que garantiu a vitória por 1 a 0 , coroou o "abraço da Nação" ao grupo que embarca nesta sexta para Porto Alegre e só volta ao Rio depois da final da Libertadores, em Montevidéu.

Assim, a partida contra o Corinthians foi a última do Flamengo em sua casa, no Maracanã, ao lado da torcida. Agora, a delegação embarca para Porto Alegre na sexta-feira, onde disputará jogos contra Internacional e Grêmio, pelo Brasileiro, antes de viajar para Montevidéu, no dia 24. A decisão contra o Palmeiras, no Centenario é no dia 27 de novembro. Os dois clubes buscam o Tri da América.

No "até breve" ao Rio, a vitória dramática foi o ajuste fino entre arquibancada e time, repetindo a cena das últimas temporadas, quando, após o apito final no Maracanã, os jogadores se dirigiram ao meio do gramado para saudar a Nação.

Neste cenário, a parte emocional foi a de maior ganho para o Flamengo nesta quarta. O time, após algumas rodadas com desempenhos ruins, reencontrou uma sequência de vitórias e vai mais confiante para a "temporada" em Porto Alegre e Montevidéu. Como atuou com uma equipe praticamente reserva, há pouco a se tirar das questões táticas visando o confronto com o Palmeiras.

Neste momento, o importante para Renato é continuar rodando o elenco a fim de mantê-lo saudável. As maiores preocupações ficam por conta de Arrascaeta, Pedro e Rodrigo Caio, em recuperação, e Bruno Henrique, que deixou a partida contra o Corinthians com dores no joelho esquerdo e será reavaliado no clube.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários