O “Big Six” da  Premier League (grupo formado por Arsenal, Chelsea, Liverpool, Manchester City, Manchester United e Tottenham, considerados os maiores da Inglaterra) tem, além de rivalidade dentro de campo, muitas disputas por títulos e confrontos históricos, episódios de jogadores consagrados em um clube que deixam a equipe para passar a defender um rival. Entre eles, isso já aconteceu muitas, mas muitas vezes mesmo. 

No entanto, quando se trata de Chelsea e Tottenham, a rivalidade não foi tão acentuada ao longo dos anos por conta de estrelas que deixaram os Blues para defender os Spurs e vice-versa. Sim, existe uma lista de atletas que percorreram um destes dois caminhos, mas não podemos dizer que esses movimentos deixaram cicatrizes em um dos dois clubes. 

Hoje, vamos relembrar essa parte da história da rivalidade entre Chelsea e Tottenham, listando para você os seis jogadores que já defenderam os dois lados deste confronto na Premier League! 

William Gallas

Gallas é, provavelmente, o nome mais fácil de lembrar desta lista. Afinal, não só defendeu Chelsea e Tottenham como também passou pelo Arsenal no meio dessa história toda, vestindo as cores de três clubes que se odeiam em Londres. O primeiro deles foi o Chelsea, entre 2001 e 2006, primeiro grande clube inglês de sua carreira (saiu do Olympique de Marselha para os Blues).

Em Stamford Bridge, Gallas teve o seu melhor momento na Premier League. Com o Chelsea, foram 225 partidas e quatro títulos: Premier League (2x), Copa da Liga Inglesa e Supercopa da Inglaterra. Depois, se mandou para o Arsenal, onde passou mais quatro anos.

Em 2010, trocou os Gunners pelo rival Tottenham Hotspurs após uma série de desgastes com Arsène Wenger. Nos Spurs, teve uma passagem muito mais discreta do que nos dois gigantes anteriores. Mesmo assim, ficou por lá até 2013, quando foi para a Austrália encarar seu último desafio da carreira. 

Carlo Cudicini

Para os bons de memória, Carlo Cudicini também é um nome fácil de lembrar. Afinal, foram nove temporadas seguidas defendendo o Chelsea antes de ir para o Tottenham. Nos Blues, o arqueiro italiano foi quase sempre o reserva de Petr Cech, mas nem por isso deixou de entrar em campo 216 vezes pelo lado azul de Londres. 

Em 2009, mudou-se para o Tottenham, onde ficou muito menos tempo e também passou a maior parte dos jogos no banco de reservas. Até 2012, atuou somente 20 vezes.

No Chelsea, conquistou Premier League (2x), Copa da Inglaterra (4x), Copa da Liga Inglesa (2x), Supercopa da Inglaterra (2x) e Supercopa da UEFA. 

Scott Parker

Hoje técnico na Premier League, Parker já brilhou vestindo a camisa de grandes clubes do país. O volante chegou ao Chelsea no início da era Roman Abramovich após boas temporadas no Charlton, mas não conseguiu se firmar, saindo um ano depois. Em uma temporada e meia, marcou apenas um gol em 15 partidas.

Transferiu-se para o Newcastle e dois anos depois foi para o West Ham, camisa que defendeu por cinco temporadas. Nos dois clubes, Parker foi bem, desempenhando papéis de líder técnico e comportamental das equipes. Assim, chamou a atenção do Tottenham, por onde ficou durante dois anos. Ainda passou pelo Fulham, seu último clube antes da aposentadoria. 

Eidur Gudjohnsen

O islandês Eidur Gudjohnsen é um histórico jogador do Chelsea, mas nem todos devem se lembrar de tê-lo visto no Tottenham. É compreensível, já que o meia-atacante passou por 16 clubes ao longo de sua vitoriosa carreira. O atleta chegou aos Blues pouco antes da era milionária se iniciar. No começo, apenas reserva, conseguiu contribuir com 13 gols saindo do banco. Depois, já como titular, foi fundamental para as duas conquistas seguidas da Premier League sob o comando de José Mourinho. 

Mudou-se para o Barcelona, onde também teve bastante sucesso, mas três anos depois foi para o Monaco. Sem se firmar, foi emprestado ao Tottenham, mas lá também não brilhou. Foram apenas 11 jogos e um gol nos Spurs, tendo sido devolvido e emprestado pelos franceses novamente. 

Gustavo Poyet

Aqui está um nome que a geração que acompanha a Premier League há menos tempo não deve se lembrar. Atualmente, Gustavo Poyet treina o Bordeaux, da França, mas em seus anos de jogador passou por Grenoble, River Plate-URU, Real Zaragoza e, é claro, Chelsea e Tottenham.

O uruguaio ex-meia teve duas passagens interessantes pelos rivais. Em 1997 foi contratado pelo Chelsea, onde ficou até 2001 e marcou 49 gols em 150 jogos. Pelos Blues, foi campeão da Recopa Europeia, Supercopa da UEFA, Copa da Inglaterra e Supercopa da Inglaterra. Depois, até 2004, permaneceu no Tottenham, onde em 82 partidas foi autor de 23 gols.

Neil Sullivan

Neil Sullivan é outro nome menos conhecido nesta história toda. O ex-goleiro escocês não brilhou por nenhum dos dois gigantes ingleses. Aliás, no Chelsea sua passagem é quase inexistente. Entre 2000 e 2003 defendeu o Tottenham por empréstimo do Crystal Palace, período em que atuou 64 vezes. Nos Blues, também emprestado, somente quatro jogos em uma temporada. 

Sobre o Betsul

O Betsul é o melhor site de  apostas esportivas da América do Sul, desenvolvido para atender os apostadores e torcedores mais exigentes. O site oferece uma interface simples, intuitiva e segura para o apostador se divertir à vontade a partir de diversas modalidades de apostas e uma extensa lista de esportes. 

Com o ídolo Falcão, maior jogador de futsal de todos os tempos, como embaixador da marca, o Betsul também representa o braço brasileiro da Gambling for Change, organização que pretende revolucionar o mercado de apostas esportivas em todo o mundo. 

Chamada de Jogo do Bem no Brasil, a iniciativa destina uma quantia do valor arrecadado com apostas no site para uma causa ou instituição social. Isso não implica em nenhum custo adicional para o apostador, é o Betsul que reparte um percentual do seu lucro para fazer o bem.  

O Betsul é um site licenciado pela Curacao eGaming, com regulamentação e registro em Curacao. Número de registro: 8048/JAZ2019-017.

Fonte: Betsul

    Leia tudo sobre: Futebol

    Veja Também

      Mostrar mais