ronaldinho gaúcho segue um policial e está algemado
Reprodução/ Twitter
Ronaldinho Gaúcho e o irmão Assis algemados


Nelson "Pepino" Cuevas foi uma das poucas pessoas autorizadas a visitar Ronaldinho Gaúcho durante os 22 dias de prisão do ex-jogador em Assunção, no Paraguai. Após o encontro, o ex-River Plate relatou que viu um homem triste e confuso, em entrevista divulgada neste domingo pela CNN Radio.

Leia também: Com churrasco e futebol, detentos tentam animar Ronaldinho Gaúcho em Assunção

O ex-meia da seleção brasileira foi preso por tentar entrar no Paraguai com um passaporte falso. Autoridades locais investigam se o movimento fazia parte de um esquema de lavagem de dinheiro do qual também participariam seu irmão, Assis, e uma empresária local, Dalia López.  

"Ronaldinho está triste, não está nada feliz. Ele é caracterizado pelo seu sorriso, bom humor e jeito de ser. Mas, hoje, seu sorriso está apagado", contou Cuevas ao CNN Radio.

Leia mais:  Ronaldinho Gaúcho e Assis pagaram R$30 mil em cada passaportes

Cuevas disse que conversou com Ronaldinho "por cinco ou seis horas". Na entrevista, tratou o ex-jogador como "vítima de tudo isso", mas reconheceu que ele cometeu um crime ao usar passaportes falsos. "Seu irmão conhecia essa gente, que são más pessoas", diz. "Colocaram [Ronaldinho] nesta jogada, e ele caiu. Pecou por ser inocente, mas cometeu um delito".

Preso há 22 dias, Ronaldinho passou seu aniversário de 40 anos na cadeia , há pouco mais de uma semana. Em razão da pandemia do coronavírus , agora apenas advogados podem fazer visitas aos presos.

"Do que percebi, ele não sabe nem onde está. Tem assessores que cuidam de tudo. Ele é inocente", concluiu Cuevas.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários