Tamanho do texto

Informações parciais afirmam que mais de 70 pessoas morreram e seis foram encontradas com vida nos escombros do avião que caiu em Medellín

Equipes de resgate no local do acidente que vitimou o time do Chapecoense
Reprodução
Equipes de resgate no local do acidente que vitimou o time do Chapecoense

A queda do avião que transportava o time da Chapecoense na madrugada desta terça-feira (29), próximo a Medellín, na Colômbia, torna-se a maior tragédia a envolver um time de futebol. O acidente deixou mais de 70 mortos e seis sobreviventes e ainda não há informações confirmadas sobre a causa do acidente. O que se especula é que uma pane elétrica tenha causado a tragédia, que já é considerada a maior no futebol.

+ Avião da Chapecoense cai na Colômbia; 71 morreram e só seis sobreviveram

Outros acidentes envolvendo times de futebol no Brasil e no mundo já chocaram os torcedores.  Em maio de 1949 o avião que transportava a delegação do Torino, time italiano, chocou-se contra a torre da basílica de Turim de Superga, faltando poucos metros para o pouso, no aeroporto de Turim. No acidente 31 pessoas perderam suas vidas, sendo 18 jogadores do time italiano. 

O Torino, em sua conta no Twitter, afirmou que a tragédia com o Chapecoense é "Destino que nos une indissoluvelmente". O clube italiano usou a hashtag #ForçaChapeconense, estamos fraternamente próximos, segundo informações da Agência Ansa.

Manchester United

Em 1958, a tragédia envolveu o time do Manchester United, que caiu em Monique, na Alemanha, tirando a vida de 23 pessoas. Neste acidente apenas sete pessoas sobreviveram. Entre os sobreviventes estava Bobby Charlton, considerado um dos maiores jogadores da história do futebol da Inglaterra.

No acidente do United apenas sete pessoas sobreviveram. Entre os sobreviventes estava Bobby Charlton
Reprodução
No acidente do United apenas sete pessoas sobreviveram. Entre os sobreviventes estava Bobby Charlton

+ "A Chapecoense tem que continuar", diz, aos prantos, o vice-presidente do clube

Oito jogadores da seleção dinamarquesa morreram após a decolagem do avião no aeroporto de Kastrup, em Copenhague, em 1960. O time chileno Green Cross também carrega em sua história uma tragédia aérea. Em 1961, o avião que transportava parte do time caiu na Cordilheira dos Andes, deixando 24 mortos, sendo oito jogadores. Por ter caído em uma região de difícil acesso, não houve resgate dos corpos e os destroços do avião foram encontrados em 2015, 53 anos depois, por um grupo de alpinistas que escalavam a Cordilheira.

Torino

Em maio de 1949, um avião levava o time do Torino de Lisboa para Turim depois de um amistoso contra o Benfica. A aeronave sofreu um acidente perto da chegada e se chocou contra a Basílica de Superga, matando 31 pessoas, incluindo 18 jogadores e cinco membros da comissão técnica do clube italiano. Entre os atletas mortos estavam vários titulares da seleção italiana.

Time do Torino que morreu em acidente aéreo
Divulgação
Time do Torino que morreu em acidente aéreo


The Strongest

Em 1969 tragédia abateu o time do The Strongest, da Bolívia. O avião caiu  cerca de 70 quilômetros de La Paz, na Cordilheira Tres Cruces e vitimou 74 pessoas, sendo 17 jogadores do The Strongest. Em 1979, 17 jogadores do Taskent, do Uzbequistão morreram após a aeronave que estavam se chocar com um avião russo que fazia o trajeto entre Minsk e Taskent. Na queda 178 perderam suas vidas.

Em 1987, em Lima, no Peru,  bimotor 7-727 caiu perto de Ventanilla com 53 pessoas a bordo. O acidente vitimou 16 jogadores do Alianza Lima, time peruano, e só o piloto sobreviveu à queda do bimotor.

Susto na decolagem

Em 1993 o time do Corinthians levou um susto na volta de um jogo em Quito, no Equador. O avião em que estava à delegação corintiana não conseguiu decolar e o procedimento para abortar a decolagem fez o avião derrapar na pista, invadir a rua em frente ao aeroporto Mariscal de Sucre e pegar fogo. A bordo estavam 72 pessoas e ninguém se feriu com gravidade após o acidente. 

+ Veja os nomes de quem estava no voo da Chapecoense que matou 73 pessoas

Seleção da Dinamarca

Em julho de 1960, após decolar do Aeroporto de Copenhague, na Dinamarca, o avião fretado pela Associação Dinamarquesa de Futebol caiu em Oresund. Só o piloto sobreviveu e oito pessoas morreram, todos jogadores da seleção olímpica do país que iria disputar os Jogos na Itália.

Green Cross

Em abril de 1961 o avião que transportava 24 pessoas, incluindo treinadores e jogadores de uma das equipes de futebol mais famosas do Chile, o Green Cross, caiu nos Andes sem deixar sobreviventes. A equipe foi dividida em dois aviões e voltava para Santiago depois de uma partida fora de casa contra o Osorno.

O avião que caiu, um Douglas DC3, levava oito jogadores e o Green Cross não conseguiu se recuperar. O time foi dissolvido em 1984. Uma temporada mais tarde ele foi rebaixado para a segunda divisão e depois a equipe se mudou para a cidade de Temuco, onde foi absorvido pelo time local. O Deportes Temuco encerrou as atividades em 1984.

Alianza Lima

Em dezembro de 1987, o time peruano do Alianza Lima voltava de Pucallpa para a capital. Perto do aeroporto Jorge Chávez, minutos antes do pouso, o avião caiu no Oceano Pacífico e apenas o piloto sobreviveu. No total 43 pessoas morreram, incluindo todos os 16 jogadores do então líder do Campeonato Peruano, além de dez membros da comissão técnica, oito diretores e um trio de arbitragem.

Seleção da Zâmbia

A seleção da Zâmbia iria participar de uma partida das eliminatórias para a Copa do Mundo de 1994 em abril de 1993, no o Senegal. O avião da Força Aérea da Zâmbia explodiu logo após decolar de um aeroporto em Libreville, no Gabão, onde tinha parado para reabastecer. No total, 30 pessoas morreram, sendo 18 jogadores, três dirigentes da Associação de Futebol da Zâmbia e cinco militares.

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.