Atletas falam em 'chatice', mas defendem nova final Sollys/Nestlé x Unilever

Por Aretha Martins - iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

iG conversou com destaques da Superliga sobre os mesmos times decidirem o torneio feminino pela nona vez. Veja a opinião deles nos vídeos

A final da Superliga feminina 2012/2013 será neste domingo, às 10h (horário de Brasília), no ginásio do Ibirapuera, em São Paulo. Até aí, nenhuma novidade, pois o local e a data da decisão já estavam definidos antes mesmo do início da competição. E, depois de cinco meses de jogos, também não houve nenhuma surpresa em relação aos finalistas.

Leia também: Qual o segredo de tantas finais? Para Sollys e Unilever, a palavra é persistência

Pela nova vez consecutiva, as equipes de Rio e Osasco decidem o torneio nacional. Em 2004/2005, era Finasa x Rexona. Mudaram elencos, patrocinadores e agora será Sollys/Nestlé x Unilever. Até aqui, foram cinco títulos para as cariocas e três para as paulistas.

Blog Mundo do vôlei: É justo ter Sollys/Nestlé e Unilever de novo na final

Mas é bom ter sempre os mesmos times na briga pelo título? O iG conversou com jogadoras que estarão em quadra no dia 7. Eles até reconhecem que essa repetição pode ser um pouco chata, mas defendem suas equipes. Assista no vídeo abaixo:

E se a Superliga feminina terá de novo um Rio x Osasco, a masculina terá, pela quarta vez, uma final diferente. Em 2011/2012, Sada/Cruzeiro venceu o Vôlei Futuro na decisão. Agora, o time de Araçatuba sequer chegou aos playoffs, enquanto os atuais campeões esperam o resultado de RJX x Vivo/Minas para conhecer o rival da briga pelo título neste ano. E os jogadores que estão nesta disputa gostam da variação da Superliga masculina. Veja a opinião deles abaixo:

E para você, é bom ou ruim ter essa diferença entre Superliga masculina e feminina? Vote na enquete e também deixe seu comentário:



compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas