Tamanho do texto

Daynara de Paula bate na frente em sua eliminatória, mas resultado não foi computado pela organização

A nadadora Daynara de Paula ganhou, mas demorou para levar. Na segunda bateria das eliminatórias dos 100m borboleta do Pan-Americano de Guadalajara , a brasileira foi a primeira colocada, neste sábado, mas uma falha no placar do Centro Aquático Scotiabank não computou o resultado e deixou a atleta bastante apreensiva na piscina.

Veja também: Brasileiros disputam posto de rei do ouro em Pan-Americanos

Apesar de ter batido na frente, o tempo da brasileira não foi registrado e, ainda na água, Daynara demonstrou nervosismo, olhando inconformada para o placar que anotava a marca das outras sete concorrentes e a colocava em oitavo, sem tempo.

Leia também: Na altitude, natação deve ser pobre em recordes

“Isso nunca aconteceu comigo. Estou muito tensa, pois o placar não mostrou meu resultado e quero saber o que aconteceu”, afirmou Daynara em entrevista à “Record News”, já fora da piscina e sem saber que tempo havia marcado. Apesar do nervosismo e da indefinição momentânea, a brasileira aprovou seu desempenho. “Fiz uma boa prova e me senti confortável”.

Apenas cinco minutos depois do término da prova, a organização divulgou o resultado completo da bateria, confirmando a vitória da brasileira, com o tempo de 1min00s25, embora ainda não de maneira oficial, sendo que a terceira bateria, realizada depois, já tinha a classificação oficial legitimada.

Com a vitória, Daynara garantiu vaga na final dos 100 m borboleta, que será realizada ainda neste sábado. A brasileira tem chances de medalha. Já a carioca Gabriella Silva ficou com o terceiro lugar em sua bateria (1min02s86), mas não conseguiu avançar para a decisão na somatória dos oito melhores tempos. No geral, a brasileira ficou com o décimo lugar.