Com medalhas, capital japonesa quer virar modelo sustentável nas Olimpíadas. Organização já arrecadou 80 mil smartphones que serão usados

Os Jogos Olímpicos e Paralímpicos de Tóquio , em 2020, prometem ser uma das edições mais sustentáveis da história. Para isso, uma das medidas é usar materiais recicláveis para produzir as mais de cinco mil medalhas da competição.

Leia também: Japão pede doação de smartphones velhos para fazer medalhas olímpicas

Medalhas paralímpicas Rio 2016
Rio 2016/Alex Ferro
Medalhas paralímpicas Rio 2016

Segundo o ministério do Meio Ambiente do Japão, as medalhas também contarão com 0,048 gramas de ouro, 0,26 gramas de prata e 12 gramas de cobre.

A campanha lançada pelo comitê organizador dos Jogos Olímpicos, que pediu para que os japoneses doassem seus antigos celulares, computadores e aparelhos eletrônicos, deu muito certo, tanto que foram arrecadados mais de 80 mil smartphones até o momento. Todos os dispositivos eletrônicos vão ser fontes de matéria-prima das medalhas de um dos maiores eventos esportivos do mundo.

Tóquio pretende virar uma cidade sustentável modelo e usará as Olimpíadas para inaugurar o crescimento econômico e as iniciativas ecológicas na capital do país. Entre alguns dos objetivos é diminuir as emissões de gases de feito estufa e o consumo de energia.

Em 2015, o uso de energia renovável representou apenas 11%, e, até 2030, Tóquio pretende elevar esse número para 30%. Uma das iniciativas do governo local é promover programas de poupança de energia para os prédios da cidade.

Leia também: Rondoniense de 15 anos conquista resultado histórico para Brasil em PyeongChang

No Parque Olímpico de Tóquio, o governo da cidade pretende transformar o local em uma área de baixa emissão de carbono, e utilizar somente hidrogênio. A mesma ideia vale para o restante da capital japonesa, que planeja introduzir nas ruas mais veículos ecológicos até 2030.

Como os olhos do mundo estarão no Japão em 2020, Tóquio pretende continuar evoluindo no quesito ecológico, com o objetivo de se tornar até o início das Olimpíadas uma cidade sustentável modelo para servir de inspiração para muitas outras. 

Conscientização

O comitê organizador ainda afirma que será a primeira Olimpíadas a fazer uma medalha de ouro totalmente feita a partir de um metal reciclado. Para facilitar a contribuição da população, o comitê ainda distribuiu mais de dois mil pontos de entrega em todo o país.

O diretor esportivo dos Jogos de 2020 acredita que a participação da população é realmente essencial e um diferencial para a produção das medalhas. "Há um limite de recursos em nosso planeta, então reciclar as coisas nos fará pensar no meio ambiente", disse Koji Murofushi à "BBC".

Leia também: Copa 2018 já tem 1,3 milhão de ingressos vendidos; Brasil é o 3º que mais compra

A reciclagem parcial para a criação de medalhas olímpicas já foi anteriormente feita nos Jogos Olímpicos de inverno de Vancouver em 2010. Nos Jogos Olímpicos Rio 2016, alguns metais retornáveis foram usados para fabricação das medalhas de bronze.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.